quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

CIÊNCIA -Deutsche welle - 21.01.2016

"Envelhecer não é mais destino: é um processo configurável"

Por que estamos vivendo mais, o que se pode fazer para envelhecer com saúde? Em entrevista à DW, especialista em antienvelhecimento Bernd Kleine-Gung fala de alimentação, boas companhias e vida ao ar livre.
A cada ano que passa, as pessoas estão vivendo mais. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a expectativa média de vida hoje é de 71 anos, levando em conta a média global e ambos os sexos – em 1990, ela era de apenas 64 anos. No Brasil, esse índice melhora: os brasileiros vivem, em média, 75 anos.
Em entrevista à DW, o ginecologista Bernd Kleine-Gunk, presidente da Sociedade Alemã de Prevenção e Medicina Antienvelhecimento (GSAAM, na sigla em alemão), enumera os diversos fatores favoráveis a essa maior longevidade. Mas garante não haver uma fórmula secreta de rejuvenescimento: "Existem, porém, muito bons conselhos."
DW: Por que as pessoas estão vivendo mais – pelo menos no Ocidente?
Bernd Kleine-Gunk:Existem diversos fatores favoráveis. Os cuidados médicos, por exemplo, estão em constante progresso. Mas sabemos que isso não é o mais importante. O fator decisivo é que hoje temos melhores condições de vida, como melhor alimentação e melhor higiene. Esses aspectos influenciam mais na expectativa de vida da população do que a medicina propriamente dita.
O que podemos aprender com as chamadas "zonas azuis", onde as pessoas vivem mais do que a média mundial?
Não existe um denominador comum em todas elas. Em cada região, a população leva um estilo de vida diferente. Na Sardenha, por exemplo, eles afirmam que o vinho tinto é o segredo de sua longevidade. Já na ilha japonesa de Okinawa, o segredo seria a alimentação à base de algas. No entanto existem alguns fatores comuns: ninguém que chegou aos 100 anos, em qualquer dessas regiões, estava acima do peso. Pelo contrário, eles são adeptos da restrição calórica há décadas, como recomendam os especialistas em rejuvenescimento. Mas não como medida dietética consciente, e sim porque não tiveram alimento suficiente por muitos anos.
Além disso, a base de sua dieta são frutas e verduras. Muitos deles são agricultores e continuam trabalhando enquanto a idade – e o físico – permita. Por isso, passam muito tempo respirando ar fresco e adquirindo bons níveis de vitamina D. E, por último, o mais importante: eles estão bem arraigados em suas famílias e comunidades. Nenhum deles vive num lar de idosos. Esse sentimento de "Eu sou útil e tenho um papel a desempenhar na vida" é crucial e lhes dá forças para que continuem vivendo.
Qual é a importância da atitudes pessoal para se viver mais?
Gente otimista e afetuosa tem mais amigos durante a velhice. Quem é amável também é digno de ser amado. É bom se sentar junto com essas pessoas – com os rabugentos, nem tanto assim. Descobrimos que essa é também uma fantástica profilaxia da demência. O cérebro é um órgão social: precisamos do intercâmbio com os outros, e ele é muito mais fácil com os que têm uma estrutura básica amigável do que com os que vivem como lobos solitários.
Existe alguma fórmula para permanecer jovem por mais tempo?
Uma fórmula única, seguramente não. Mas existem conselhos muito bons. Um deles é: não deixe de fazer as coisas de que gosta. Nenhum artista deixa de pintar aos 65 anos, ou de escrever, ou de tocar música. Outro conselho: evite tudo aquilo o que faz envelhecer e morrer prematuramente, sobretudo fumar. Mais uma dica: cuide de seu peso, siga uma dieta equilibrada. E nunca perca a curiosidade pela vida. Se estou sempre descobrindo coisas novas e belas, tenho uma boa motivação para seguir vivendo.
Por que envelhecemos?
Estamos na Terra porque temos um objetivo biológico básico, que consiste em transmitir nossos genes às gerações seguintes. Feito isso, nos tornamos prescindíveis. Então passamos a envelhecer de maneira significativa e mensurável. Até os 30 anos, quando a missão de reproduzir normalmente foi cumprida, permanecemos jovens. A partir daí, não somos mais interessantes para a Mãe Natureza. Quem, então, ainda quiser se manter jovem e saudável, precisa se cuidar muito.
As mulheres se tornam inférteis antes dos homens, mas a expectativa de vida delas ainda é maior. Como isso se explica?
Há duas teorias. A primeira é que as mulheres são mais importantes. Elas contribuem para a preservação e reprodução da espécie muito mais do que os homens, por meio da gravidez, da amamentação e da criação dos filhos. Dessa forma, estão mais protegidas biologicamente.
A outra versão é a assim chamada "hipótese da avó". Ela postula que as mulheres de idade avançada, mesmo que inférteis, ainda mantêm um papel importante na educação e criação dos netos, o que também ajuda a preservar a espécie. Por isso as mulheres vivem mais. Homens idosos, por sua vez, são só uma boca inútil para alimentar.
O que ocorre com o corpo quando envelhecemos?
Bernd Kleine-Gunk é presidente da Sociedade Alemã de Prevenção e Medicina Antienvelhecimento
Várias coisas, muito diversas. Basicamente, podemos distinguir sete pilares do envelhecimento. Um deles é a oxidação, um processo pelo qual são gerados os chamados radicais livres, que passam a nos contaminar. Há também o processo de glicosilação, em que o açúcar se associa à proteína, impedindo que os tecidos do corpo funcionem corretamente.
Outro pilar do envelhecimento são as inflamações crônicas – aquelas que ocorrem em pequena escala. A morte das células-tronco, responsáveis por nos regenerar, é outro processo que nos leva a envelhecer. Danos genéticos e epigenéticos ao DNA aumentam com a idade e causam doenças relacionadas à velhice.
Outro pilar é a falta de hormônios e, por fim, o encurtamento dos telômeros, as extremidades dos cromossomos. A cada divisão celular, eles se encurtam um pouco, até alcançar um limite crítico, quando as células não são mais capazes de se dividir e morrem. Hoje já é possível medir o comprimento dos telômeros, o que é um possível parâmetro para avaliar a longevidade.
Medindo os telômeros é possível prever quando morreremos?
Não, isso seria um excesso de interpretação e só serviria para assustar as pessoas. Mas a medição dos telômeros nos permite descobrir se somos biologicamente mais velhos ou mais jovens do que indica nossa idade cronológica. E a boa notícia é: podemos influenciar o resultado desse exame através de nosso estilo de vida. O envelhecimento não é mais um destino: é um processo configurável.
Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte | Assessoria de Imprensa

Artigo de Ricardo Motta: “Valorização do guia de turismo e fortalecimento da atividade no RN”

Crédito da foto: Assessoria de Comunicação
 
O turismo constitui uma das mais importantes atividades da economia do Rio Grande do Norte. E, por esse motivo, é muito importante assegurar a qualidade e profissionalização dos serviços prestados na área. Segundo informações do Sindicato dos Guias de Turismo do RN, estima-se a existência de quase 800 profissionais no Estado. A atividade dos guias regionais de turismo é regulamentada por Lei Federal 8.623/93. No entanto, não há a aplicação da referida legislação em função da ausência de fiscalização pelo Governo Federal.

Apesar de ser a única profissão regulamentada no turismo brasileiro, há uma enorme dificuldade de fiscalizar e coibir ações clandestinas no Brasil. Daí porque se faz necessário regulamentar a atividade dos guias regionais de turismo no âmbito dos estados para que a fiscalização fique a cargo do Executivo Estadual.

O atual cenário no Rio Grande do Norte, segundo o Sindicato da categoria, é infelizmente um dos piores possíveis. Profissionais que investiram em suas formações estão descrentes tanto do segmento quanto dos gestores públicos diante do crescimento de prestação de serviços por pessoas inabilitadas e não credenciadas.

A atividade do turismo para ser promovida de modo sustentável deve ser feita de forma profissional, daí a importância dos guias credenciados. O guia regional de turismo torna a experiência do turista no nosso Estado mais segura pelas orientações e informações que oferece, por exemplo, sobre passeios, roteiros, lugares para comer e comprar artesanato e acesso a serviços de saúde. O turismo é viável quando é bom para o nativo e excelente para os turistas.

Por esse motivo, apresentei um projeto de Lei, atendendo solicitação do Sindicato dos Guias de Turismo do RN, visando a regulamentação da atividade dos guias regionais de turismo no Estado.

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Morreu o juiz Moacir Lucena.

Prezados amigos


Com profunda tristeza, comunico o falecimento, no final da tarde de hoje, de Moacir de Lucena, meu pai.   

Aos 103 anos de idade, ele ainda insistia em continuar sua longa caminhada no tempo, na qual executou trabalhos como professor, juiz, escritor, poeta e homem dedicado à Educação e à Cultura.  Provavelmente era o magistrado (aposentado) mais idoso do Brasil.  Foi fundador do Instituto Cultural do Oeste Potiguar, ICOP, e era membro da UBE-RN.

O velório ocorrerá no Cemitério Morada da Paz em Emaús e o sepultamento está previsto para as 10:00 horas de amanhã, dia 20 de janeiro.

A família agradece a todos


Liacir Lucena




Resultado de imagem para juiz moacir lucena

Moacir Lucena, Juiz de Direito aposentado.


quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte | Assessoria de Imprensa

Artigo de Cristiane Dantas: "Lugar de mulher é na política"

Crédito da foto: Assessoria de Comunicação
 
As mulheres representam 51% da população brasileira. No universo do eleitorado brasileiro, somos 52,13%, segundo apontou o Tribunal Superior Eleitoral nas eleições de 2014. Apesar dessas estatísticas, a participação feminina na política ainda é menor que a dos homens. Ampliar a presença das mulheres nas decisões políticas e aperfeiçoar a democracia é um desafio constante dos movimentos feministas no Brasil.

Segundo a legislação eleitoral vigente, o número de candidatos a cargos eletivos deve ser de no mínimo 30% e no máximo 70% para cada gênero em todos os cargos proporcionais – deputado federal, estadual e distrital e vereador. Essa regra passou a ser disciplinada pela  Lei Nº 034/2009 e tornou obrigatória a candidatura de mulheres. Ainda assim, as mulheres ocupam apenas 13% dos cargos eletivos no Brasil, percentual considerado baixo em relação a outros países.

Para ter uma ideia clara disso, o Brasil ocupa o 156° lugar em um ranking de 188 países sobre a participação feminina nos parlamentos, sendo um dos que têm a menor presença das mulheres no Poder Legislativo. Na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, por exemplo, somos apenas duas mulheres entre 22 homens.

A campanha “Mais Mulheres na Política”, lançada em outubro, na Assembleia legislativa pela Procuradoria Especial da Mulher do Senado e pela Secretaria de Mulheres da Câmara dos Deputados, com o apoio da senadora Fátima Bezerra é uma importante mobilização neste sentido, porque busca uma maior efetividade no cumprimento das leis que incluem a participação feminina nos partidos.
Por outro lado, é perceptível o crescimento do interesse das mulheres nas questões políticas. A participação feminina, por mais tímida que ainda seja, tem conseguido importantes avanços ao colocar na agenda pública assuntos de interesse da mulher e a criação de órgãos como a Secretaria de Políticas Públicas para as Mulheres no RN.

Sou a favor da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) já aprovada no Senado, em primeiro turno, que estabelece cotas para mulheres nas eleições para deputado federal, estadual e vereador. Acredito que na medida em que abordarmos a importância da participação das mulheres nas questões políticas do Brasil, mais mulheres irão se interessar em acompanhar a política brasileira, assim como desejarão se tornar representantes eleitas pelo povo. Mas, acima de tudo, vislumbro que haverá um tempo em que o lugar da mulher na política, de forma expressiva em relação aos homens, não mais será uma bandeira de luta e sim uma realidade.
 

terça-feira, 12 de janeiro de 2016


CONVITE
Alinhar imagem
O lançamento do livro “AMOR DE VERÃO”, da autoria de Carlos Roberto de Miranda Gomes, com ilustrações de Carlos Victor Rosso Gomes Caldas.
SERÁ NO DIA 15, sexta-feira à partir das 16h até 18h, por ocasião do bazar na sede do Projeto ATTITUDE, Rua Moacyr Lins, 36, por trás da sede da PROMOVEC - COTOVELO).
Alinhar imagem  
 Metade da arrecadação será para o Projeto.
O horário é em razão do fluxo de veículos após as 16h em dias de festa em Pirangi

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Detran do Rio Grande do Norte alerta sobre falsas cobranças e avisos

08/01/2016 14h19 - Atualizado em 08/01/2016 14h19

Órgão avisa que não envia boletos de pagamento para e-mail de usuários.

Carnê do IPVA vai direto para o endereço já cadastrado no sistema.

Do G1 RN
O Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Norte (Detran/RN) emitiu um alerta nesta sexta-feira (8) informando que não envia boletos de pagamento para e-mail de usuários. Em relação às taxas anuais de licenciamento, IPVA e seguro DPVAT, o órgão esclarece que é enviado, gradativamente, um carnê para o endereço cadastrado de acordo com o calendário de placas já divulgado na página oficial do Detran (clique AQUI).
Ainda de acordo com o Detran, também é possível consultar, conferir e imprimir guias no site, basta informar a placa e o Renavam do veículo.

Em relação aos serviços de habilitação de condutores, o órgão acrescenta que não é verdadeira a informação de que após o vencimento da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) todos os processos serão reiniciados. “Ao vencer o período, o condutor deverá ir, em até 30 dias, até um posto de atendimento do Detran e solicitar a renovação, munido da CNH vencida e do comprovante de endereço. Na ocasião, será verificada a situação e necessidades específicas de cada caso.

Para consultar as taxas e documentos necessários para os serviços, basta acessar o portal do Detran/RN. Para outras informações, o telefone de atendimento é o (84) 3232-0010.
Foram alteradas doses de reforço para vacinas infantis contra meningite e pneumonia, além do esquema vacinal da poliomielite. Também não será mais necessária a terceira dose da vacina de HPV.

Os postos de saúde de todo o país já estão com novo calendário de vacinação para 2016. Estão sendo alteradas doses de reforço para vacinas infantis contra meningite e pneumonia, além do esquema vacinal da poliomielite e o número e doses da vacina de HPV, que não será mais necessária a terceira dose. As mulheres vivendo com HIV entre de 9 a 26 anos devem continuar recebendo o esquema de três doses. 

As mudanças, realizadas pelo Ministério da Saúde, começaram a valer a partir dessa segunda-feira (04). [Portal Saúde > Saiba mais]


--
Postado por AssessoRN - Jornalista Bosco Araújo no AssessoRN.com em 1/07/2016 12:40:00 PM

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

07/01/2016 13h23 - Atualizado em 07/01/2016 13h28

Chove em 83 municípios do RN; em oito, chuvas passaram dos 50mm

Dados são da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte.
Em Lucrécia, na região Oeste, choveu 76,5 milímetros.

Do G1 RN
Chuvas também alegraram a população de Jucurutu  (Foto: Edilson Silva)Chuvas também alegraram a população de Jucurutu (Foto: Edilson Silva)
Chuvas acima de 50 milímetros caíram nas últimas horas em 8 cidades do interior potiguar. Segundo dados da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn), o maior índice - de 76,5mm - foi registrado na cidade de Lucrécia, na região Oeste. Ainda de acordo com a Emparn, choveu em 83 municípios do estado entre as 7h da última terça (5) e as 7h desta quinta-feira (7). 
Também choveu bastante nos municípios de Coronel João Pessoa (65mm), Encanto (60mm), São Miguel (60mm), Serrinha dos Pintos (57mm), Frutuoso Gomes (55mm) e Pau dos Ferros (50mm), ambos também no Oeste do estado. Em Jaçanã, na região Agreste, choveu 55,2 milímetros.
O Rio Grande do Norte enfrenta a pior seca dos últimos 100 anos. Dos 167 municípios, 153 estão em estado de emergência por causa da estiagem prolongada. Atualmente, 17 cidades estão em situação de colapso no abastecimento d'água e outras 74 em sistema de rodízio.
Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte | Assessoria de Imprensa

Memorial preserva história do Legislativo 

Crédito da foto: Assessoria de Comunicação
 
Um agradável passeio pelo Memorial do Legislativo Potiguar através de fotos, documentos, objetos, peças de vestuário, móveis antigos, entre outros artefatos, vai revelando detalhes e preciosidades de uma boa parte dos 180 anos de história da Assembleia Legislativa. Localizado no segundo andar da sede do Parlamento, o Memorial vem cumprindo um importante papel de resgate e zelo dessa história e o ano de 2015 foi especialmente dedicado a expandir suas atividades, através de ações e projetos que ampliaram a divulgação.

Até o momento, foram contabilizadas mais de 1.500 visitas. A população em geral e, mais especificamente, os estudantes de ensino médio e universitário, seja da capital ou do interior, buscaram o Memorial para aprofundar seus conhecimentos.

O acervo deste departamento é constantemente enriquecido através de um trabalho diário que a equipe realiza no garimpo de peças junto a familiares e amigos de ex-deputados e também de outras instituições. Próximo à sua inauguração, em dezembro de 2014, esta campanha foi intensificada e assim o Memorial conquistou boa parte do seu acervo atual, em trabalho que se renova e se enriquece diariamente.

Um protocolo de intenções com o Instituto do Legislativo Potiguar (ILP) vai ampliar ainda mais essa visitação, através de convênios que serão firmados com universidades e escolas públicas. De acordo com sua coordenadora, jornalista Bernadete Oliveira, outros projetos importantes estão em curso. “Estamos trabalhando na criação das biografias de todos os parlamentares que passaram por aqui, desde o ano de 1835, quando a Assembleia foi instalada, até o período legislativo atual”,
informa a coordenadora.

Outras novidades estão para acontecer e potencializar a divulgação dessa história. Através de uma parceria firmada com a Secretaria de Informática, será criado o Memorial Virtual, um site no qual os internautas poderão acessar e conhecer todo o acervo. Nesse espaço serão incluídos mais de dois mil novos documentos e aproximadamente cinco mil fotografias.

HISTÓRIA

O projeto “Conversa no Memorial” vem reunindo depoimentos de ex-deputados sobre suas atuações e a conjuntura política, social e econômica da época. Estas entrevistas são disponibilizadas para o público acadêmico e todos os interessados nas histórias de vida e política. Ao longo de 2015, foram realizadas 14 entrevistas. Em paralelo, foram desenvolvidos os projetos Cine História, com acervo de filmes  e o Memória Viva, documentário.

É o memorial também o responsável pelo tombamento de todas as peças museológicas. Sua equipe fez a catalogação de mais de três mil imagens fotográficas, já disponibilizadas em álbuns para acervo e pesquisa. No momento, está em andamento o levantamento da história de criação dos 167 municípios norte-riograndenses. “Também criamos, em parceria com a Comunicação Social, folders para a divulgação do nosso memorial e, com a soma de ações e projetos, socializamos a importância da preservação dessa história para a sociedade potiguar”, finaliza Bernadete.

 

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Em Currais Novos, nos anos 30/40, tinha seu "Ernesto", seu "Lunga", já falecidos. Gerson de Castro encontrou outro, cearense, que é mais duro e bruto do que pau ferro.

MEU ENCONTRO COM “SEU” LUNGA: PENSE NUM VELHO BRUTO!

Por Gerson de Castro*

Foto reproduzida do página do facebook do jornalista
Adepto, que sou, de um bom papo, regado muitas vezes a boas piadas, tive a oportunidade de conhecer há poucos dias, em Juazeiro do Norte, a figura já lendária de Seu Lunga, citado em muitas histórias, a maioria das quais ficticiamente atribuída a ele. Mas pude comprovar que o homem é mais seco que a vegetação da caatinga em época de seca. Conto, a seguir, o meu brevíssimo encontro com tal figura. Brevíssimo mesmo, porque durou, se muito, uns dois minutos.

Estávamos eu, mulher e filho e nossa amiga Ana Lúcia no centro de Juazeiro quando decidimos ir até a casa ou a loja do homem que é citado por tudo que é humorista, é figurinha carimbada em livros de cordel e já foi personagem de reportagens de tevê e até da revista Playboy.

Pouco depois das 16h30, no centro de Juazeiro do Norte. Abordo um guarda municipal e pergunto a ele onde mora seu Lunga. Ele me dá todas as coordenadas. Para, logo em seguida, dizer que seu Lunga não estaria em casa naquele horário, mas em sua loja na rua Santa Luzia, a alguns quarteirões dali.
Decidimos ir até lá. Descobrimos que o centro de Juazeiro é só nome de santo. São Pedro, São Paulo, Santa Luzia e outros santos de que já nem me lembro. Mas são muitos, garanto.

No caminho, para me certificar de que estamos no rumo certo, abordo um mototaxista e um vendedor de loja. Diante da pergunta sobre o endereço da loja de seu Lunga escuto, além da confirmação do endereço, advertências bem-humoradas do tipo “cuidado com o que vai perguntar a ele”. Ou “cuidado, que o homem é brabo”.

Achando tudo aquilo muito divertido, seguimos adiante. Quando nos aproximamos da loja de seu Lunga percebemos que o homem já está fechando sua loja. São 16h50. Rosa e Gabriel se aproximam da calçada, mas, temerosos, não abordam o homem. Ana Lúcia, amiga de velhos tempos, nos faz companhia. Decido cruzar a rua e abordar o homem que a esta altura já fechou, pelo lado de dentro, a primeira porta de rolo de sua loja e se prepara para fechar, pelo lado de fora, a segunda porta.

Encho-me de coragem e abordo o velho personagem que veste camisa azul, traz canetas no bolso e não consegue e nem tenta disfarçar o mau humor atrás de óculos escuros. O chapéu preto lhe confere um ar sombrio. Parece Waldick Soriano. Me vem à mente a lembrança de tipos que a gente encontra pelas feiras livres desse Nordeste de meu Deus.
- O senhor é que é seu Lunga? – pergunto. Mãos cruzadas às costas, em sinal de respeito. Ou timidez.
- É como me chamam – responde secamente sem nem olhar pra mim.
Chego à conclusão de que a conversa vai ser difícil. Decido, em milésimos de segundos, que não vou desistir.
- O senhor conhece Natal?
- Não – Outra resposta seca como uma faca atirada sem aviso prévio.
- Somos de Natal, no Rio Grande do Norte. Somos nordestinos como o senhor. E viemos aqui só para conhecer o senhor, que está famoso em todo Nordeste e no País. E queremos tirar uma foto.
Ele fica em silêncio e continua tentando fechar o cadeado da segunda porta de rolo. Quando se levanta, vira-se para o meu lado.
Estendo-lhe a mão direita e pergunto:
- Posso cumprimentá-lo?
Ele deixa a minha mão estendida no ar e, virando-se em direção à minha mulher, minha amiga Ana Lúcia e meu filho Gabriel, que está com a máquina fotográfica, diz simplesmente:
- Vamos tirar a foto.
Rapidamente, chamo Gabriel e juntos tiramos a foto com o tal personagem. Foto habilmente feita por Ana Lúcia. Na verdade, pensava em tirar mais de uma. Rosa vem em meu socorro e lembra que “seu” Lunga não vai ter tempo para mais de uma foto. Acho que ela quis dizer que ele não teria é disposição.
Feita a foto, seu Lunga sai de perto e começa a descer a rua Santa Luzia. Não tenho tempo sequer para me despedir. Acho que ele nem ouviu meu "obrigado".
Menos mal. Rosa e Ana Lúcia, que decidem tirar uma foto diante da loja fechada, comentam como o velho é bruto e seco. Eu rio somente. Já tenho o que eu queria: conheci seu Lunga e ainda tenho uma foto de recordação. Um verdadeiro troféu para acrescentar às minhas conversas com os amigos.
Lembranças de uma tarde quente no Ceará em que conheci seu Lunga e levei um tranca, ficando com a mão estendida no ar durante alguns segundos.
Mas, poderia ter sido pior. Principalmente se eu tivesse iniciado a conversa perguntando a ele “Seu Lunga está fechando a loja?”
Certamente o tranca seria muito maior e eu não teria a foto.
E você, se estivesse no meu lugar, faria a pergunta?

*Texto publicado com exclusividade no perfil do jornalista em sua página do Facebook.



--
Postado por AssessoRN - Jornalista Bosco Araújo no AssessoRN.com em 1/06/2016 05:55:00 PM

Empresa apresenta protótipo de tela de TV dobrável


5 janeiro 2016 Atualizado pela última vez 10:33 BRST 12:33 GMT
Se você trabalha no ramo de gabinetes para televisores, talvez não goste desta novidade.
Para os demais, vale a pena conferir uma notável inovação em curso.
A multinacional coreana LG vem trabalhando em uma tela de TV flexível por algum tempo, mas só agora, na CES (Consumer Electronic Show), a maior feira de eletrônicos dos EUA, apresentou o primeiro protótipo.
A tela pode ser dobrada e amassada, e a visualização é em full HD.
O protótipo ao qual a BBC teve acesso tinha 45,7 cm de ponta a ponta, mas a LG diz planejar telas acima de 55 cm. Nessa dimensão, a empresa diz que conseguirá produzir uma qualidade de 4K, ou seja quatro vezes maior do que o HD.
Hoje, a resolução é de 1.200 por 810 pixels.
E como a empresa desenvolveu o modelo? Naturalmente ela não revela detalhes, mas o salto tecnológico fundamental foi a mudança de TVs de LED para TVs de OLED.
A letra "O" significa "orgânico", e acaba com a necessidade de um painel traseiro para iluminar a tela. Daí a flexibilidade.
Mas por que você precisaria de uma TV dobrável? A LG diz que é algo ideal para exposição como painel em uma loja, mas também para pessoas que não querem sacrificar todo um canto de um quarto para uma televisão.
Com uma tela como essa, você pode dobrar a televisão e guardá-la no armário até a próxima utilização.

Pixels 'mortos'

A LG não informa quanto custará uma TV dobrável nem a perspectiva de lançamento. No momento as equipes estão totalmente envolvidas com o protótipo.
"Esperamos ter um protótipo maior no futuro próximo. Mas ainda estamos planejando o cronograma para um produto comercial", disse KJ Kim, vice-presidente de marketing da LG Display.
Isso pode ser traduzido da seguinte maneira: ainda irá levar um tempo.
Embora a tela seja notável, ela apresenta algumas falhas.
As cenas exibidas no protótipo, com luzes brilhando à noite, foram planejadas para esconder os vários pixels "mortos" na tela.
Pixels "mortos" são aqueles danificados, que passam a aparecer apenas como pequenos quadrados vazios em vez de mostrar a cor certa.
Havia vários pixels "mortos" na tela, e outros surgiram após algum tempo manuseando o modelo.
No protótipo apresentado agora, a tela só pode ser enrolada em uma direção, o que não é um grande problema, mas é algo que terá que ser resolvido antes da produção comercial.
Outro ponto importante é que a tela pode ser enrolada, mas não pode ser dobrada de forma plana.
Isso significaria danificar o produto de forma permanente - deste modo, a tela ainda não representa algo que muitos esperavam, um videojornal interativo que poderia ser manuseado como o produto de papel.
Mas estamos chegando lá.