quinta-feira, 28 de março de 2013

Capuche projeto grande centro comercial em Parnamirim, pertinho de Cidade Satélite.


Parnamirim terá segundo maior shopping do RN

Publicação: 28 de Março de 2013 às 00:00 hs

Andrielle Mendes - Repórter
Tribuna do Norte - Natal
O grupo Capuche detalhou ontem o projeto de construção de um shopping em Parnamirim, em parceria com o 5R Shopping Centers, e revelou que pretende construir até 2016 mais três centros comerciais na Grande Natal.
DivulgaçãoFachada projetada para o Praça das Dunas Shopping Center: Empreendimento deverá receber R$ 300 milhões em investimentosFachada projetada para o Praça das Dunas Shopping Center: Empreendimento deverá receber R$ 300 milhões em investimentos

O shopping que as empresas implantarão juntas, o Praça das Dunas, exigirá um aporte de R$ 300 milhões, como antecipou a TRIBUNA DO NORTE em entrevista com o presidente do grupo Capuche, Edson Matias, publicada em outubro do ano passado.

Ontem, o empresário afirmou que espera iniciar as obras no primeiro semestre de 2014. As empresas deram entrada no pedido de licença prévia na Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo de Parnamirim ainda em 2012 e aguardam até o final deste ano ano o sinal verde para assentar os primeiros tijolos.

A previsão é concluir o empreendimento em 2016, um ano antes do previsto inicialmente. “O processo de licenciamento está bem adiantado”, justificou Maurício Medeiros, diretor jurídico da Capuche. O shopping Praça das Dunas, que entre os que operam no estado será menor apenas que o Midway Mall, é o primeiro empreendimento da 5R Shopping Centers na região Nordeste.

Em dois anos de atuação, a empresa já lançou nove shoppings - boa parte deles no Sul e Sudeste. A empresa estreou no Nordeste de olho no crescimento da região e na ascensão da classe C. Parnamirim foi escolhida principalmente pelo crescimento populacional. A localização do terreno - de propriedade da Capuche - segundo Felipe Fulcher, presidente da 5R também pesou a favor.
Adriano AbreuO Shopping será implantado em um terreno da Capuche, às margens da BR-101, em EmaúsO Shopping será implantado em um terreno da Capuche, às margens da BR-101, em Emaús

O shopping é um dos maiores já lançados pelo grupo no país. Embora “ele já nasça de grande porte”, como afirma Felipe Fulcher, ainda há espaço para expansões. Dos 68.250 metros quadrados de área, só 42.345 metros quadrados serão ocupados inicialmente pela Área Bruta Locável - que corresponde à soma de todas as áreas disponíveis para a locação nos Shopping Centers, exceto quiosques e as áreas comerciais de propriedade de terceiros.  A empresa paulista revela que está interessada em construir novos shoppings no país, mas diz não enxergar mais espaço no RN para empreendimentos de grande porte como o que vai ser construído. 

segunda-feira, 25 de março de 2013

Medidas paliativas não acabarão com o corporativismo nas universidades públicas.


Rogério Cezar de Cerqueira Leite: O futuro da universidade pública no Brasil

Folha de . Paulo - 11.03.2013

Tendências / Debates
É hoje consenso entre intelectuais, governos e executivos de empresas que a universidade é componente essencial para o desenvolvimento das nações. Há uma correlação inequívoca entre a qualidade do sistema universitário e a qualidade de vida dos cidadãos de um país.

A universidade pública brasileira é, reconhecidamente, ineficiente, embora algumas tenham uma certa qualidade e outras contenham nichos de excelência.
A ineficiência é ocasionada por uma convergência de fatores perniciosos, dentre os quais se destacam excessos burocráticos, corporativismo e diluição de autoridade e de responsabilidades.
A divulgação recente de um bem-intencionado plano de carreiras e cargos do magistério federal provocou convulsões nos meios acadêmicos nacionais. A principal razão dessa revolta é a exigência de concursos de entrada exclusivamente no início da carreira, ou seja, na posição de auxiliar de ensino.
Isso certamente compromete a qualidade da universidade, porém é inevitável --decorre do regime jurídico do servidor público.
O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) registra, há mais de dez anos, uma experiência bem-sucedida com uma fórmula de gerenciamento inovadora, denominada Organização Social (OS). Ela é aplicada em vários de seus institutos de pesquisa.
Soluções semelhantes têm sido experimentadas em setores de saúde e outros por diversos governos estaduais e municipais, com relativo êxito. A fórmula é simples. Um contrato, dito de gestão, é firmado entre governo e uma entidade privada, a OS, para gerir uma instituição.
Esse contrato estabelece objetivos e metas a ser alcançados em períodos de tempo estabelecidos. Limites podem ser afixados para recursos destinados a administração, a investimentos, a pessoal etc. Distribuição de recursos para diferentes áreas de atuação também podem ser decididos com flexibilidade negociada entre o governo e a OS. Com isso, é possível que se dimensione e até mesmo se interrompa a gestão.
Pesquisadores, funcionários e dirigentes são contratados no âmbito da CLT. Institutos (ou centros) ligados ao MCTI de origem recente foram facilmente convertidos em OS.
Os mais antigos, como, por exemplo, o excelente Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada, passam por uma transição lenta e cuidadosa. Os membros originais são mantidos em suas categorias funcionais, mas pesquisadores e funcionários são contratados pela OS de acordo com a CLT. Previdência complementar é oferecida por cada OS.
Uma transição para Organização Social da universidade pública não seria realizável em anos, mas apenas em décadas. Talvez seja o momento de iniciar um projeto piloto e colher resultados.
Estamos convencidos de que soluções que não mudem radicalmente a estrutura jurídica básica da universidade pública brasileira serão inúteis, pois o corporativismo interno não será neutralizado por medidas paliativas.
Submetida ao atual regime jurídico, a universidade pública brasileira está condenada à mais impermeável mediocridade.
ROGÉRIO CEZAR DE CERQUEIRA LEITE, 81, físico, é professor emérito da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e membro do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia e do Conselho Editorial da Folha
*

domingo, 17 de março de 2013

Novos tempos na Igreja Católica: ex-padres e leigos que trabalharam no "Movimento de Natal" nos anos 60, vão se reunir nos dias 26 e 27 de abril.


Os participantes do Movimento de Natal, que movimentou a Arquidiocese, nos anos 60 do século passado, estão novamente se arregimentando para o segundo encontro a ser realizado em local ainda não confirmado. Extraoficialmente, seria realizado num hotel de Ponta Negra ou na Casa de Hóspedes, também conhecida como Centro de Treinamento da Igreja, onde ocorreu o primeiro encontro, com poucos participantes residentes em Natal. Hoje, após a assunção do Papa Francisco I, há muitos temas para abordagens com padres e leigos de todas as tendências dentro da Igreja Católica.
A arregimentação sendo encabeçada por Otto Santana, irmão do falecido Cardeal Primaz do Brasil, dom Eugênio de Araújo Sales, ex-coordenador da JEC, nos anos 60, e ex-secretário de educação e cultura do Estado do Rio Grande do Norte. Abaixo, uma cópia do imeio enviado para um dos convidados para o encontro (não confundir com conclave).


"Prezadas amigas e amigos do Movimento de Natal,
   com alegria encaminhamos, em arquivo anexo, a Segunda Convocação para nosso próximo encontro a se realizar no dias 26 e 27 de abril próximo. Contamos com sua adesão e entusiasta participação. Aguardamos confirmação.
   Com amizade, Otto Santana, em nome da Coordenação".

Jornalista Arlindo de Melo Freire, José Brendan e Manoel Chaparro, participaram do "Movimento de Natal". Foto de Luiz Cortez, em hotel de Ponta Negra. s/d. (2009).

quinta-feira, 14 de março de 2013

Pardieiro de Candelária vai receber novos hóspedes breve.


CDP Candelária, solução improvisada

Tribuna do Norte - Publicação: 14 de Março de 2013 às 00:00

 Repórteres Rafael Duarte e Roberto Lucena.
Para um problema recorrente, uma solução improvisada. Após decisão judicial que obriga o Estado a fechar o Núcleo de Custódia da Polícia Civil, a secretaria de Estado da Justiça e da Cidadania (Sejuc) resolveu reativar o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Candelária. O titular da Coordenadoria de Administração Penitenciária (Coape), major Castelo Branco, admite que a manobra não é a "melhor solução", mas foi "a única opção viável no prazo estipulado pela Justiça". O CDP de Candelária foi desativado há mais de um mês e estava fechado devido às péssimas condições físicas do local. Desde a última terça-feira, cinco homens trabalham na recuperação do prédio.
Edu BarbozaOntem, Major Cícero Cardoso, adjunto da Sejuc, visitou o prédio que está quase em ruínas. Cinco pedreiros fazem os reparos na estrutura
Ontem, Major Cícero Cardoso, adjunto da Sejuc, visitou o prédio que está quase em ruínas. Cinco pedreiros fazem os reparos na estrutura


No dia 7 de fevereiro passado, o CDP de Candelária foi desocupado. Naquela data, 96 homens foram transferidos para o CDP Potengi, na zona Norte de Natal. A unidade de Candelária, segundo a Sejuc, pode abrigar 100 homens. Até ontem, o Núcleo de Custódia tinha 83 presos. Segundo major Castelo Branco, nem todos seriam relocados para a unidade em Candelária. "Queremos trazer, no máximo, 70 presos. Os demais serão encaminhados para outras unidades do sistema", avisou.



Para receber os detentos, o prédio passa por uma reforma. Desde a última terça-feira, cinco pedreiros estão fazendo reparos na rede elétrica, esgotos e estrutura das sete celas. Cada uma conta com um banheiro e o prédio tem ainda um solário. Ontem à tarde, o major Castelo Branco visitou o local. O secretário adjunto da Sejuc, major Cícero Francisco Cardoso, também esteve presente. "Acredito que a reforma seja encerrada até sexta-feira. No sábado, faremos a transferência dos presos",  disse major Cardoso.

Magnus Nascimento
No Raimundo Nonato presos se rebelaram e arrombaram cadeados


O prazo, no entanto, foi contestado por um dos pedreiros que trabalham na reforma. Segundo o profissional, a obra só ficará pronta na próxima quarta-feira. "Mesmo que não termine tudo, iremos fazer essa transferência. É preciso cumprir a ordem judicial", lembrou major Castelo Branco.



Há outros problemas a serem solucionados pelos gestores do sistema prisional. Ainda não se sabe de onde virá a mobiliária para equipar o CDP. Mais: há dúvidas com relação à disponibilidade de pessoal. Os servidores lotados no Núcleo de Custódia não serão transferidos. Para funcionar, segundo major Castelo Branco, o CDP de Candelária necessita de pelo menos nove agentes penitenciários e mais três servidores para o setor administrativo da unidade. "Vamos batalhar por esse pessoal. Tirar de algum lugar e colocar aqui", disse. O coordenador acrescentou que irá solicitar apoio ao Comando da Polícia Militar. "Vamos pedir uma equipe de pelo menos seis policiais para ajudar na segurança externa do prédio", pontuou. 



Segundo o major Cardoso, o sistema prisional do Rio Grande do Norte possui atualmente 6.270 presos, mas há vagas para apenas quatro mil detentos. "Para desafogar, seria necessária a criação das vagas que já ultrapassam a capacidade máxima e a contratação de pelo menos mais 100 agentes penitenciários", pontuou. Hoje, são 883 agentes à disposição da Sejuc. A esperança do Estado é de que o secretário Júlio César de Queiroz retorne de Brasília com boas notícias. O titular da Sejuc foi ao Distrito Federal tentar conseguir, junto ao  Departamento Penitenciário Nacional (Depen) do Ministério da Justiça, um convênio para a construção de cinco presídios no RNidades, de acordo com major Castelo Branco, seriam mistas, abrigando tanto presos sentenciados quanto os que aguardam por julgamento. Segundo dados da Sejuc, as unidades prisionais abririam 1.160 novas vagas no sistema penitenciário do Estado, o que ainda não supre a necessidade atual.



Falta de água gera motim no presídio provisório



Os detentos do bloco B do Presídio Provisório Professor Raimundo Nonato Fernandes se rebelaram na noite da última terça-feira em virtude da falta de água na unidade. Eles arrombaram os cadeados das celas onde permaneciam encarcerados e passaram a noite nos corredores do pavilhão. A situação foi apaziguada ontem, quando novos cadeados foram disponibilizados à direção do presídio e os homens foram colocados novamente dentro das celas.

Edu Barboza
No Núcleo de Custódia, 83 presos aguardam transferência


De acordo com o diretor da unidade prisional, Wellington Marques, o problema no abastecimento de água é comum, pois o presídio possui apenas uma caixa d'água com capacidade para cinco mil litros. Marques disse que é necessário buscar água no Hospital de Custódia, atrás do prédio do presídio provisório. Porém, desta vez, não foi suficiente. O diretor acredita que as altas temperaturas e a superlotação têm feito com que os presos façam mais uso dos chuveiros, o que diminuiu a reserva de água. Atualmente, o presídio abriga 420 presos, quando a capacidade é de 160.



Delegados se posicionam hoje sobre novos presos



Na tarde de ontem, os delegados civis do Rio Grande do Norte demonstraram força cooperativista durante reunião extraordinária do Conselho Superior de Polícia Civil (Consepol). Durante o encontro realizado na sede da Delegacia Geral (Degepol), os membros do conselho deliberaram sobre qual posicionamento os policiais adotarão com relação aos novos presos flagranteados. Mais que isso, a reunião foi uma forma de demonstrar apoio ao delegado geral  Fábio Rogério, em resposta ao pedido de afastamento do cargo apresentado pelo Ministério Público Estadual (MPE).

Edu Barboza
Deteriorado, o CDP Candelária está desativado há mais de um mês


O requerimento do MPE, assinado pelo promotor Wendel Beethoven, pede à Justiça o bloqueio de R$ 5 milhões na conta única do Estado, apra pagamento de multas. Além disso, o promotor pediu o afastamento temporário do delegado-geral e a nomeação de um interventor com o fim específico de fazer cumprir as ordens judiciais. O pano de fundo da discussão é o problema de superlotação do Núcleo de Custódia da Cidade da Esperança e uma ordem judicial expedida, em agosto do ano passado, ordenando a interdição e fechamento da unidade. 



Os delegados presentes à reunião demonstraram irritação com o pedido do MPE e estudam uma maneira de contrapor o requerimento judicialmente. Rogério classificou o pedido como "muito grave". O delegado-geral afirmou ainda que"a ação do MPE mexe com uma autoridade que sempre teve interesse em resolver o problema do Núcleo de Custódia. Fica a mágoa nessa situação", colocou ele. O delegado-geral explicou que, mesmo com a decisão judicial decretando o fechamento do Núcleo de Custódia, o local ainda estava ativo porque ele recebeu sinalização positiva para assim proceder. "Participei de reuniões com o procurador-geral do Estado, secretário de Justiça e secretário de Segurança. Eu alertei sobre não poder receber mais presos no Núcleo, mas, mesmo assim, não havia outra solução. Esvaziaram a unidade certo tempo, mas logo ficou cheio novamente", disse.



A reunião de ontem foi suspensa e terá continuidade hoje, quando haverá a deliberação definitiva sobre o posicionamento do Conselho. Uma nota de apoio ao delegado-geral e repúdio ao pedido do promotor Wendel Beethoven deverá ser publicada.


O juiz da 4ª Vara da Fazenda Pública, Cícero Martins de Macedo Filho, determinou que a Sejuc desocupe o Núcleo de Custódia da Polícia Civil, na Cidade da Esperança, no prazo máximo de cinco dias, ou seja, até o próximo domingo. No local, é visível a incapacidade para abrigar os presos. O Núcleo possui uma cela na qual estavam detidos 83 homens até a tarde de ontem. O titular da Coape, major Castelo Branco, afirmou que mais cinco presos foram transferidos ontem, porém, a informação não foi confirmada pela diretora do Núcleo. "Não houve mais transferências", disse Tânia Pereira.

quarta-feira, 13 de março de 2013

Quase 700 acidentados com motocicletas no HWG.


Foto: Rafael Barbosa
As últimas três colisões na Ponte de Igapó resultaram em morte
Somente este ano, até a segunda-feira, 11, o Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel atendeu 677 pessoas vítimas de acidentes de trânsito envolvendo motocicletas, atingindo uma média de 6,8 atendimentos diários nos 101 primeiros dias de 2013. De acordo com a assessoria de imprensa do Walfredo, entre os feridos, 613 eram os pilotos e 64 seguiam nas motos como passageiros. Segundo dados da Polícia Rodoviária Federal, a maioria dos acidentes ocorre por imprudência dos motoqueiros, que insistem em andar nos corredores entre as faixas de rolamento, é a maior causa das colisões.
Fonte: Tribuna do Norte - Publicação: 13.03.2013.

BPchoque fecha boca de fumo em Felipe Camarão

Tribuna
Tribuna do Norte

Na noite de ontem (12), o Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) realizou a apreensão de drogas e entorpecentes em um ponto de venda de drogas no bairro de Felipe Camarão, Zona Oeste de Natal. Suspeitos conseguiram fugir.
Polícia Militar encontrou crack, maconha, balanças de precisão, dinheiro fracionado e caderno de contabilidade da boca
Os policiais realizavam o patrulhamento tático na localidade quando receberam a informação de um possível ponto de venda de drogas. Ao chegarem ao local indicado, os policiais encontraram a droga, mas os criminosos já haviam deixado o local após perceberam a presença da polícia na redondeza. Os bandidos usaram um morro como rota de fuga e não foram encontrados pelos policiais. 

Ao todo, foram apreendidas 74 pedras de crack, 54 papelotes de maconha, duas balanças de precisão, um celular, um caderno de contabilidade, dois rádios comunicadores e aproximadamente R$ 50 em dinheiro fracionado. Todo o material apreendido foi apresentado à Polícia Civil.
Fonte : Tribuna do Norte de 13.03.2013.

Estamos perto da economia do samba do criolo doido?


Samba da economia doida
(*) Rinaldo Barros

A conversa de hoje poderia ser incluída na lista das complexidades que caracterizam a sociedade brasileira, sempre mais complicada do que as demais nações do planeta.
            Após algumas leituras sobre a atual situação da economia do patropi, constato que os diagnósticos correntes sobre a “doença” brasileira de inflação crescente e baixo crescimento (pibinho) denunciam corretamente o baixo investimento (do governo e das empresas) e a alta carga tributária, combinados com forte movimento de desindustrialização e reduzida participação nas exportações.
            Desde 2011, vivenciamos um arrefecimento do impulso positivo vindo do exterior: os preços das commodities pararam de crescer e até se reduziram; os investidores estrangeiros retraíram-se em função do risco do cenário internacional (vide crise na zona do Euro) e também das barreiras protecionistas criadas pelo próprio governo do patropi.
            Nesse sentido, o Brasil se vê atualmente destoando de todas as demais nações, com reduzidíssima participação no comércio exterior.
É óbvio ululante que uma maior integração do país no comércio internacional, certamente, induziria uma redução da carga tributária e uma maior taxa de investimento de todas as forças vivas da economia. Uma política de Estado caminharia nessa direção.
Pois bem, segundo o World Fact-Book (citado no jornal Valor), lamentavelmente, o valor de nossas exportações ocupa apenas a 24ª. posição, num ranking de 176 países.
            A União Europeia ocupa o 1º. lugar, a China o segundo lugar e os EUA ocupam o 3º. lugar no comércio de exportações. A Coreia do Sul é o 8º. maior exportador de bens e serviços.
            Pelo cenário atual, é possível afirmar que todos os países bem-sucedidos no processo de transição para o chamado primeiro mundo são grandes exportadores.
Não há caminho para o pleno desenvolvimento econômico que não passe por uma forte integração com o restante da comunidade internacional. Mas, esse não é o caso do patropi, porquanto somos, talvez, a economia mais fechada do mundo, tirante a Coreia do Norte.
            Se o governo federal tivesse um projeto estratégico de Nação (e não um projeto eleitoreiro de poder pelo poder) enxergaria que é imperativo formular uma estratégia clara para que a indústria brasileira participe intensivamente das cadeias produtivas globalizadas.
            Em segundo lugar, o governo deveria estudar seriamente as alternativas para reduzir a carga tributária sobre as empresas brasileiras, de forma a dar-lhes melhores condições de competir com os produtores estrangeiros.
            Por fim, é preciso ter claro que - ao contrário do protecionismo - a perspectiva de poder importar bens de capital e insumos mais baratos e de integrar a indústria verde-amarela às cadeias produtivas internacionais levará a expansão do investimento privado para adaptar (modernizar, inovar) nossas empresas a essa nova e desafiadora realidade econômica mundial.
            Ao invés de uma política estratégica de Estado, o governo federal respondeu com medidas tópicas, eleitoreiras e pífias de: 1) redução (?) da tarifa de energia elétrica e; 2) desoneração fiscal de 09 (nove) produtos da cesta básica.
            Por outro lado, e para concluir, é quase inacreditável como a Petrobras segue acumulando maus resultados sob o comando do PT. Apenas nos dois primeiros meses de 2013, a empresa perdeu R$ 53,9 bilhões em valor de mercado, queda superior à desvalorização ocorrida em todo o ano de 2012. De janeiro a dezembro do ano passado, a companhia sofreu uma baixa de R$ 36,7 bilhões (Este levantamento foi feito pela consultoria Economática).
            Resumo da ópera: o patropi sempre foi conhecido como a terra dos contrastes. Todavia, hoje em dia, o contraste está ainda maior entre uma banda da economia com desemprego muito baixo e rápida ampliação das camadas médias (o que explica a alta popularidade do governo federal) e; outra banda que padece de baixo crescimento e inflação em curva ascendente; o que aponta para um cenário assustador, não desejado, de descontinuidade e crise, no médio prazo.
            Pelo andar da carruagem, com o olhar fixo apenas nas eleições de 2014, estamos perto de compor o Samba da economia doida.
           
                (*) Rinaldo Barros é professor – rb@opiniaopolitica.com


--
O SITE AGORA OFERECE CURSOS 24 HORAS, COM CERTIFICADO. 
ATUALIZE SEUS CONHECIMENTOS

segunda-feira, 11 de março de 2013

"A meditação não é um meio para chegar a Deus, mas um fim. A finalidade da meditação é o amor a Deus e ao próximo." (Santo Padre Pio de Pietrelcina)

sexta-feira, 8 de março de 2013

PM age contra a violência, mas poderia reativar os antigos grupos especiais do semi-àrido potiguar.

O clima está esquentando em Candelária. Prestem atenção: estamos falando sobre a temperatura ambiente, clima quente de quase 29º na capital espacial do Brasil. Está quente em Candelária, na Cidade Alta, Felipe Camarão, Praia do Meio, Brasília Teimosa, Mãe Luiza, etc. Mas o clima de insegurança está melhorando, mas não sabemos os níveis, graças a operação "Metrópole Segura", que está sendo desenvolvida pela Polícia Militar, em Natal. As rondas em Candelária não são de 24 horas, mas estão sendo feitas pela manhã, tarde e parte da noite. Agora mesmo, passou uma viatura do BOPE no centro comercial de Candelária, via rua Raposo Câmara e Bento Gonçalves. È bom que diversifiquem as viaturas de rondas, inclusive nos horários, para que a vagabundagem seja surpreendida. Os assaltantes motorizados dão preferência as imediações da rua Santa Efigênia, onde funcionam pequenos estabelecimentos comerciais e o famoso Bar de Cid, cujos proprietários já foram assaltados várias vezes nos últimos 5 meses. Não recapitulemos isso não porque pode ser considerado crítica desnecessária, dirigida e infrutífera. Também não estamos interessados em remexer em matérias e assuntos badalados pelas emissoras de tevês de Natal,no ano passado. Aquela história dos cartões clonados. Isso é caso passado, superado, entregue à justiça e pronto. Aos querem xafurdar - e são vários - os que querem armadilhar e ficar de fora, guardemos distância. Deixem o gordo, o magro, o alto , o baixo em paz. Jornalismo não é perseguição. Não sou desse time. Estou fora.
È melhor ver as nossas deficiências e apontar para as autoridades. Se os òrgãos de segurança pública agem, não é hora de criticar, mas de elogiar pelo cumprimento do dever constitucional de zelar pela integridade do cidadão, da sua propriedade, da sociedade em geral, sem distinção social.
Um lembrete: está chegando a hora da PM montar os grupos especiais contra os assaltos a agências dos Correios e Banco do Brasil, no interior do Estado. Grupos especiais preventivos. Lembro que esses mini grupos atuaram na região central, na época em que o bandoleiro Valdetário Carneiro agia no interior. Havia outros assaltantes e a PM e a PC atuavam em conjunto. Ao que sabemos, esses grupos especiais estão desativados, mas muitos policiais da época estão ativos na capital e no interior. Eram verdadeiros "guerrilheiros"  do semi-àrido. Está na hora de reativá-los Mas isso é outra história. Ou estamos equivocados?

segunda-feira, 4 de março de 2013

Paulo Tarcísio na Câmara Federal.


Quem se lembra, há pouco mais de uma semana, esta página do AssessoRN.com informava que o PT era federal. PT para muitos que o conhece é o jornalista Paulo Tarcísio, e que acaba de revelar ao blog que está viajando para assumir uma das funções da imprensa da Câmara Federal. Paulo Tarcísio retorna à capital federal 35 anos depois. Grande Paulo Tarcísio. O blog deseja toda a sorte a este amigo e companheiro de lutas e labutas!
 
De chute, agora, a gol de placa, PT emplaca federal!!!  

Parabéns, grande Paulo Tarcísio, você merece! a) Cortez.
--
Postado por AssessoRN - Jornalista Bosco Araújo no AssessoRN.com em 3/04/2013 05:13:00 PM

Paulo Tarcísio Cavalcanti.

domingo, 3 de março de 2013

Brasileiro acompanha Papa desde o primeiro dia no posto e vai até o último
Foto: Diego Amorim/CB/D.A.Press
Os primeiros e os últimos momentos de Bento XVI como papa foram acompanhados de muito perto por um brasileiro criado no sertão do Rio Grande Norte. Flávio José de Medeiros Filho, de sotaque nordestino ainda bastante carregado, deixou o Brasil 13 anos atrás para ser seminarista em Roma. Há oito, vive dentro do Vaticano e ocupa um dos cargos de maior prestígio na Basílica de São Pedro, o coração da Igreja Católica. [Fonte: Correio Braziliense > Leia mais]


--
Postado por AssessoRN - Jornalista Bosco Araújo no AssessoRN.com em 3/03/2013 02:35:00 PM
©2013 Google - Termos Política de Privacidade - Página inicial do Google

sábado, 2 de março de 2013

O inverno chegou. Previna-se contra a dengue.




Armadilha para capturar pernilongos - fácil de fazer.
 
DEVEMOS COMBATER A DENGUE!
 
Para quem não sabe, é importante conhecer os hábitos dos pernilongos em geral. O pernilongo que pica é a fêmea que usa nosso sangue como alimento e nutriente para seus ovos. Nessas picadas podem ser transmitidas a dengue, a malária e várias outras doenças. Os machos, em geral, se alimentam da seiva de plantas. Alguns pernilongos, como os da dengue, têm hábitos diurnos, mas quanto ao resto se comportam como os demais. Os pernilongos (fêmeas) são atraídos e se orientam pelo dióxido de carbono que expelimos por nossa respiração e pela pele. É assim que eles acham os alvos das picadas, que somos nós. É por isso que os escutamos rondando nosso nariz à noite. Baseando-se nesse comportamento dos pernilongos foi criada a armadilha para sua captura, um dispositivo muito simples que todos nós poderemos fazer em quantidade suficiente para proteger a casa toda.
 
Armadilha para captura de Pernilongo - Use e Divulgue!
 
É UM MÉTODO MUITO EFICIENTE, LEIAM.
 
SERVE PARA QUALQUER PERNILONGO, MESMO O DA DENGUE, MOSQUITOS e INSETOS VOADORES:
 
Como matar mosquitos ecologicamente correto.
Para ajudar com a luta contínua contra os mosquitos da dengue e a dengue hemorrágica, uma idéia é trazê-los para uma armadilha que pode matar muitos deles.
O que nós precisamos é, basicamente:
 
200 ml de água,
50 gramas de açúcar mascavo,
1 grama de levedura (fermento biológico de pão, encontra em qualquer supermercado ) e uma garrafa plástica de 2 litros
 
Como fazer:
 
1. Corte uma garrafa de plástico (tipo PET) ao meio. Guardar a parte do gargalo:
 
 
2. Misture o açúcar mascavo com água quente. Deixe esfriar. Depois de frio despejar na metade de baixo da garrafa.
 
 
3. Acrescentar a Levedura . Não há necessidade de misturar. Ela criará dióxido de carbono.
 
 
4. Colocar a parte do funil, virada para baixo, dentro da outra metade da garrafa.
 
 
5. Enrolar a garrafa com algo preto, menos a parte de cima, e colocar em algum canto de sua casa.
 
 
Em duas semanas você vai ver a quantidade de pernilongos e mosquitos que morreu dentro da garrafa.
 
 
Além da limpeza de suas casas, locais de reprodução de pernilongos e mosquitos, podemos utilizar este método muito útil em: Escolas, Creches, Hospitais, residências, sítios, chácaras, fazendas, floriculturas. etc.
 
Não se esqueça da Dengue nos próximos meses: este pernilongo pode matar uma pessoa!
 
DIVULGUE! é muito importante!!!

sexta-feira, 1 de março de 2013

Viva a Natureza, na visão de Fernando Pereira.

 A exposição “Vivam Natura”, do fotógrafo Fernando Pereira, é um evento promovido pelo Núcleo de Arte e Cultura (NAC) da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). O coquetel de abertura terá início às 19h da próxima quinta feira, 07, na Galeria Conviv’art.
 
Fernando Pereira é jornalista, funcionário da UFRN e atualmente trabalha na Hemeroteca do Departamento de Comunicação da Universidade. Na exposição “Vivam Natura”, o fotógrafo irá apresentar 40 fotografias que têm por temática a natureza, predominando a do território potiguar.
 
O autor inclui no currículo várias premiações locais, nacionais e internacionais, além de ter suas fotos publicadas em diversos livros e revistas. Em 2004, foi o 2º colocado no concurso “Paisagens do Ecossistema Potiguar” promovido pelo Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte (IDEMA).
 
A exposição estará aberta à visitação de 08 a 27 de março, de segunda a sexta-feira, das 9 às 17h. A Galeria Conviv’art está localizada no Centro de Convivência Djalma Marinho, sala 11, no campus central da UFRN, em Natal.
 
Assessoria de Imprensa do
CCHLA/UFRN /(84) 3215-3573


--
Postado por AssessoRN - Jornalista Bosco Araújo no AssessoRN.com em 3/01/2013 06:50:00 PM
Resposta rápida
"Enquanto o demônio faz barulho é sinal de que ainda não se apossou da tua vontade!" (Santo Padre Pio de Pietrelcina.