quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Cuidado nos semáforos de Natal e Parnamirim!


Chamo a atenção dos condutores que se dirigem à  Parnamirim, nos finais de tardes, para travar as portas dos seus carros quando pararem no sinal de entrada da cidade, após o parque Aristófanes Fernandes, onde os travestis atacam e assaltam os homens, principalmente os de meia idade. È na base do dá ou desce, verdadeiros assaltos, pois cobram 100 reais para saírem do carro. Caso contrário, dão espetáculos no meio da rodovia ou na cidade, gritando que foi vítima, que o motorista queria fazer ou fez um programa e não pagou. Vários casos aconteceram. Quando a polícia é acionada e faz o flagrante, eles armam o circo e ameaçam a vítima por danos morais, simulando que foram vítimas e não assaltantes. È uma arapuca o local. Tem um prostituto de quase 2 metros, morenão, musculoso e cara de bombado que é baitolão que gosta de pegar e alisar a "jibóia" do motorista e vai logo para cima com a gula toda. Se a pessoa resistir, então, meu caro se prepare que vem ameaças prá cima de você. Muito cuidado porque eles tem outros baitolões para servirem de testemunhas, digo falsas testemunhas. 
Fonte: Informações de uma vítima.
--------------------------------------------------------------------------------------------------

Mensagem recebida. Não sei quem é o autor:

RECADOS DA POLÍCIA CIVIL

1º AVISO DA POLÍCIA CIVIL
MUITO IMPORTANTE!
À noite, se atirarem um ovo no pára-brisas de seu carro (reconhecível
pelo amarelo da gema)
* Mantenha a calma e a VELOCIDADE
* Não use o limpador de pára-brisas!
* NUNCA coloque água no pára-brisas!
* Aumente a velocidade porque os LADRÕES estão por perto.
Explicação: O ovo e a água ao se unirem, formam uma substância
viscosa, tal como o leite, e você vai precisar parar, pois bloqueará a
sua visão em cerca de 90%. Fuja dali o mais depressa possível! Este é
o ultimo método que eles inventaram.


2º AVISO DA POLÍCIA CIVIL
NOVA MODALIDADE DE ASSALTOS A VEÍCULOS
Imagine que você vai para o seu carro que deixou estacionado
bonitinho, abre a porta, entra, tranca as portas para ficar em
segurança e liga o motor.
Você não faz sempre assim?
Entretanto, olhando pelo espelho interno, você vê uma folha de papel
no vidro traseiro, que te bloqueia a visão.
Então, naturalmente, xingando quem colocou um maldito anúncio no seu
vidro traseiro, você põe o carro em ponto morto, puxa o freio de mão,
abre a porta e sai do carro para tirar o maldito papel, ou o que seja
que esteja bloqueando a sua visão.
Quando chega na parte de trás, aparece o ladrão, vindo do nada, te
rende, entra e leva o seu automóvel c/ a chave na ignição, o motor que
estava ligado (se tiver bloqueador já vai estar liberado), c/ a sua
carteira, documentos e o que mais houver lá.
Assim, se houver alguma coisa bloqueando a sua visão, não desça do carro.
Arranque o seu veículo usando os espelhos retrovisores externos,
espere e desça em outro local, mais à frente, c/ total segurança.
REPASSE!!! Esta é quente! Muito cuidado e atenção !!!
Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende.
Boa sorte, boa prevenção, e fiquem atentos.


3º AVISO DA POLÍCIA CIVIL
CUIDADO em BARES, RESTAURANTES, IGREJA e outros locais de encontros coletivos.
Bandidos estão dando de 10 x 0 em criatividade em nós e na Polícia,
portanto, vamos acabar com isso...Vejam: Você e seus amigos ou
familiares estão num bar ou restaurante, batendo papo e se divertindo.
De repente chega um indivíduo e pergunta de quem é o carro tal, com
placa tal, estacionado na rua tal, solicitando que o proprietário dê
um pulinho lá fora para manobrar o carro, que está dificultando a
saída de outro carro.
Você, bastante solícito vai, e ao chegar até o seu carro, anunciam o
assalto e levam seu carro e seus pertences, e ainda terá sorte se não
levar um tiro...
Numa mesma noite, o resgate da Polícia Militar atendeu a três pessoas
baleadas, todas envolvidas no mesmo tipo de história.
Repasse esta notícia para alertar seus amigos... O jeito, em caso
semelhante ir acompanhado!Chame alguns amigos para ir junto, e de
longe verifique se é verdade.
Isto também pode acontecer, quando se está na igreja, supermercado...
ou em outros locais de encontros coletivos.
'MENSAGEM TRANSMITIDA PELO ATENDIMENTO 190 '

Comportamento pessoal não é assunto jornalístico.


Esta foto é de um grupo de pessoas que caminham diariamente em Candelária, pela manhã e no final da tarde e, no final do ano, se confraternizam num café da manhã, num clima agradável, descontraído, sem fofocas, etc. Mas, meu amigo, tem locais, como poucos bares de Candelária, que as línguas ferinas, verdadeiras lâminas afiadas, ficam disseminando boatos maldosos e falsos. O jornalista nada tem a ver com a vida pessoal, sexual, afetiva de ninguém. Se o indivíduo é guei, lésbica ou seja lá o que for, isso é assunto particular, dele, e não dos outros, nem da coletividade. Agora, eu ir atrás de casas de drinques só para mulheres e/ou para homens, nunca! Eles que dêem e façam o que quiserem em ambientes privados. O que eu tenho com isso? Uma família foi despejada pela justiça? Então, o procedimento foi legal, pois se não paga o aluguel durante um ano, então, é caso de ação judicial. E acabou. Não é caso jornalístico. Assunto encerrado.
Agora, tem muita gente precisando fazer uma auto-análise, psicanálise, terapia de grupo, ler romances, poemas, poesia da Bíblia e, até, livros de auto ajuda.
Tem gente que baixa o pau na Polícia, mas não vai conhecer uma base comunitária da polícia, de um presídio, de uma delegacia e saber de suas necessidades e da situação do policial civil e do soldado da PM.
Em Candelária, há uma Base Comunitária da PM, na rua Bento Gonçalves, em frente à Escola Governador Walfredo Gurgel, que conta com a ajuda do Conselho Comunitário (gestão de Victor Vale),mas mesmo assim, ninguém vai lá para conversar com os soldados, se integrar com eles.  Estou certo ou errado?

Enquanto isso, continuamos atentos a àrea que nos cerca, naqueles que gostam de espionar no bairro, nos bares, nas ruas de outros bairros. Estou de olho, aliás, penso que estou.Não somente os paisanos.
Estou pensando em sugerir que a Governadora Rosalba Ciarline adquira um ônibus novo para a Polícia Militar, pois o que vi há três dias na rua Raposo Câmara, em Candelária, está velho demais, talvez dos anos 80. Muito ronceiro e dirigido por um rapaz.


terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Candelária com saudade da Base Comunitária da Polícia Militar.

Não passa de boato chinfrin, oriundo de duas mentes doentias, de que corre em Candelária um abaixo-assinado para fechar a Base Comunitária da Polícia Militar, situada na praça da rua Bento Gonçalves, defronte à Escola Estadual Gov. Walfredo Gurgel. Eles se aproveitaram da atual realidade (provisória) que leva o remanejamento dos efetivos da Base Comunitária de Candelária para ações nas praias do litoral sul e norte do Rio Grande do Norte, principalmente nas mais próximas da Capital. E aí, o que está errado? Como Candelária fica um verdadeiro deserto, principalmente nos fins de semanas, é evidente que há àreas mais necessitadas de policiamento diuturno.Conseqüentemente,  o posto da PM fica dias fechado, mas na noite de ontem, observamos a passagem de viatura da PM por ruas de Candelária. Segundo informações, esse período não coincide aumento de assaltos no bairro. No período de veraneio, sim, cresce a onda de boatos porque os habituês de bares (uma minoria, claro) ficam com muita fertilidade imaginativa, outros porque têm insonia e ocupam o tempo noturno para verem chifres nos outros ou para simplesmente verem fantasmas ao meio-dia.
Mas falemos de gente séria, como professor aposentado Geraldo Gonçalves de Oliveira, 86 anos bem vividos, um dos maiores problemas de Candelária e a falta de limpeza nas ruas e praças. O problema conta com a colaboração e participação de carroceiros particulares que jogam entulhos e lixo na praça e campo de futebol na traseira da Igreja católica e atrás da escola Walfredo Gurgel. "Bastaria que o prefeito Carlos Eduardo mandasse a Urbana aplicar a lei aos infratores não somente nos carroceiros, mas, também, nos donos de camionetas e carros particulares que depositam lixo e entulhos. Há poucos dias, um gari da URBANA que estava fazendo a limpeza naquela área, quase apanhava de carroceiros porque reclamou da sujeira colocada ali. Então, a prefeitura tem que acabar com essa sujeira organizada", disse o professor Geraldo.
Nota de 31.01.13 - Na manhã de ontem, 30, a Base está ocupado por soldados da PM. O lixo e os entulhos tinham sido removidos, mas com sinais que voltaram a sujar a área.  A festa da padroeira continuavam sem incidentes com usuários de drogas e moradores de ruas. Quatro deles já foram acusados de roubarem comida e bebidas do Bar do Gil, recentemente. Entraram no prédio por uma pequena abertura que existia na parte inferior da alvenaria. O buraco foi tapado e os "moradores" de ruas foram advertidos e ficaram caladas, na maior cara de pau. E continuam no bairro, tomando cana e dormindo nas calçadas ou sob marquises.
Além da sujeira, na rua Manhã Parnasiana, em frente ao campo de futebol de areia, o perigo ronda porque são inúmeros os arrombamentos de carros. Um das vítimas, Expedito Pinheiro de Araújo, que não mora em Candelária, mas baixa no terreiro do Bar da Tesoura, já perdeu um pneu de estepe, uma feira de 50 reais, mais 350 reais em dinheiro. Ele disse que a moda agora é arrombamento de carros nas proximidades de hospitais de Natal e adverte: "perto do Hospital do Coração, em Nova Descoberta, estão arrombando carros diariamente".



sexta-feira, 25 de janeiro de 2013


92 anos de Luiz Maranhão
Tribuna do Norte - 25.01.2013 - P.02
Alexandre de Albuquerque Maranhão - historiador

Militante político de qualidade insuperável, que acreditava profundamente no diálogo e no respeito as diferenças. A figura humana de Luiz Maranhão Filho continuará sendo para sempre a verdadeira representação da solidariedade e do respeito mútuo entre as pessoas. Abdicou de uma vida sossegada e bem remunerada para lutar incansavelmente contra a opressão, as desigualdades sociais e qualquer tipo de discriminação e preconceito entre as pessoas. Verdadeiro patriota, digno de respeito e admiração.

Luiz Maranhão nunca desrespeitou seus adversários políticos. Costumava citar uma frase de Bertold Brecht: "não somos melhores do que ninguém. Melhor é a nossa luta". Também não criticava os companheiros que deixavam para trás a luta política. E afirmava: "para que fazer acusações ou críticas? A medida da coragem de um homem não é a sua ideologia. É ele mesmo". Nunca disseminou o ódio e o pavor contra aqueles que os torturou seguidas vezes. E não foram poucas as atrocidades cometidas contra ele. 

Lutou desde sua adolescência pelas liberdades democráticas, através do Partido Comunista Brasileiro, o qual se filiou em 1945. Participou ativamente a favor da "Campanha do Petróleo é Nosso", promovendo comícios, passeatas e distribuindo de forma clandestina exemplares do jornal Emancipação junto com Djalma Maranhão. A ordem do governo era apreender tudo que falasse a favor do monopólio estatal do petróleo. Foi militante ativo também da "Campanha da Borracha", contra a guerra da Coréia, contra o nazi-fascismo durante a Segunda Guerra Mundial, de todos os movimentos e manifestações populares que defendiam a soberania do Brasil, a autodeterminação dos povos, a liberdade e a democracia. Renunciou a toda e qualquer forma de vida social para lutar pelo que acreditava e defendia. Dizia que: "há de chegar um tempo em que as pessoas não irão passar privações e deixarão de existir as desigualdades". Morreu (desapareceu) acreditando nisso.

Não deixou herdeiro político. Sua vida atribulada, a intensa atividade política e a clandestinidade não lhes deu o direito de ter uma vida em comum com sua amada esposa Odette Maranhão. Tiveram uma vida de sacrifícios, de agonia e de saudades um do outro.

Luiz Maranhão é dessas raríssimas exceções da vida política-partidária de nosso país: coerente, íntegro e honesto. A prática de sua vida cotidiana era o reflexo do que ele pensava e defendia. Democrata no sentido mais amplo: não tinha preconceitos político-ideológicos. Interagia com os militantes sociais de outros credos, de todos os partidos, semeando sempre a tolerância e amizade. Figura querida e bastante respeitada como político, professor de História e Geografia do Colégio Ateneu, advogado e jornalista.

A cota de sacrifício desse bravo e destemido militante político foi enorme e inconcebível. Preso pela primeira vez pelas forças conservadoras em 13 de janeiro de 1948, por ter feito críticas a postura reacionária do governo do presidente Dutra, no jornal Folha Popular, editado em Natal. Pela segunda vez, em dezembro de 1952, foi torturado durante quinze dias na Base Aérea de Natal, por ter denunciado através de reportagens no jornal A Folha do Povo, de Recife, os maus tratos aos presos políticos naquele comando militar. Que mal teria feito esse homem para ser torturado e perseguido tantas vezes? Logo ele que era um defensor incansável da justiça social, da paz, da união entre cristãos e marxistas. Que disseminou a solidariedade entre os povos, a liberdade de expressão e o respeito as diferenças. 

Mesmo enfrentando tantas adversidades ao longo de sua vida, Luiz Maranhão nunca aceitou a ideia de deixar o Brasil. Suas energias estavam voltadas para a criação da Frente Ampla, junção das mais diversas forças políticas para derrotar a ditadura militar. Como também continuava dialogando com os setores progressistas da Igreja Católica para por fim à crise política brasileira, que endurecera no final dos anos de 1960 e durante a década de 1970.

Ajudou com sua vida e com sua morte a derrotar a ditadura militar instalada no Brasil em 1964. Durante todo o período desse difícil e arriscado trabalho, Luiz Maranhão não era visto num mesmo domicílio dormindo duas noites seguidas. Seus algozes não o deixavam em paz. Até que em 27 de março de 1974, ele foi visto pela última vez, na cidade de São Paulo, quando uma patrulha do Exército o prendeu. O governo brasileiro nunca deu a Odette Maranhão qualquer notícia sobre o paradeiro de seu marido. 

O desaparecimento desse norteriograndense, nascido em Natal no dia 25 de janeiro de 1921, foi uma perda irreparável para o nosso estado, no aspecto político, ético e moral. Sua ausência na Política do Rio Grande do Norte e do Brasil deixou uma lacuna grandiosa, que até os dias atuais não foi preenchida e por muitos anos ainda permanecerá aberta.  

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Acabou-se bar que preste na Deodoro.

A avenida Deodoro, uma das mais importantes ruas de NATAL, não tem um bar que preste, à exceção do 294, que existe há mais de 20 anos, do lado da sombra. No trecho entre o Colégio Marista até o prédio do extinto Diário de Natal, não tem um bar que preste. Tem um barzinho na esquina com a rua Seridó, um boteco chamado Adebar, cuja cerveja Skol custa 5 reais, mas é bem frequentado por ex-fregueses do antigo Bar de Lourival, que é um péssimo local para se tomar uma cervejinha. Motivo? O local é poluidíssimo pelos gases e e poeira tóxica lançados pelos carros e ônibus. Pior é a areia que é jogada na sua cara. O bar fica do lado do sol e tome poeira na cara, mas ninguém está notando por causa do "mé". Quando a lateral está vazia de carros, então, meu caro, tome poeira. Hoje, 22, tomei uma dose cavalar de poeira e , por isso, fui obrigado a tomar um banho em casa, mas um banho diferente, um verdadeiro escaldado para tirar a tisna e a areia jogada na cara. O mago Naná saiu logo e foi para a sua casa. Foi para longe da poeira. Xô, sujeira!
Sugiro ao dono do bar que procure outro local. Pagar caro e levar poeira na cara?
Nem os doidos do Hospital Colônia João Machado. Vade retro, Satanás.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

O velho misto dos anos 50 no Seridó potiguar.



Foto: acervo Antonio Amaro/Divulgação 

Caminhão adaptado com cabine de madeira (Misto) fazia o transporte de passageiros da região, meio-século atrás. Nessa foto do Blog Cerro Corá News era a condução dos trabalhadores da Mina Bodó (de scheelita), no Seridó do RN. É interessante observar na foto registrada como acerto fotográfico de Antonio Amaro, que o pneu do veículo está completamente liso (careca), além do armamento conduzido por alguns passageiros.
Também na época era comum os motoristas, chamados de "chofer", não possuírem a carteira de habilitação oficial e os automóveis mistos na maioria deles a cabine de madeira possuía até três divisões além da dianteira reservada para o motorista e seu ajudante.


--
Postado por AssessoRN - Jornalista Bosco Araújo noAssessoRN.com em 1/20/2013 03:17:00 PM

sábado, 19 de janeiro de 2013

Na "Chicago" potiguar...



Natal

Natal, 19 de Janeiro de 2013 | Atualizado às 14:38

Polícia registra cinco homicídios entre sexta à noite e madrugada de hoje

Tribuna do Norte
Publicação: 19 de Janeiro de 2013 às 10:10
O fim de semana começou violento na Grande Natal. As delegacias de plantão da capital registraram cinco homicídios na madrugada de hoje (19) e noite de ontem, sendo dois deles na zona Norte, dois na zona Sul e um deles em Parnamirim. 

Um dos assassinatos aconteceu na manhã de sexta-feira (18) no bairro Planalto, mas o corpo foi encontrado na madrugada de hoje. Francisca Cristina Zacarias França foi encontrada morta em sua residência. O suspeito fugiu e está sendo procurado pela polícia. A suspeita é de crime passional.

Já em Parnamirim, George Avelino foi assassinado ontem, por volta das 19h. Segundo o relato de sua irmã, a vítima foi chamada em casa por duas mulheres, não identificadas, e alguns minutos depois o corpo foi encontrado em um terreno nas proximidades.

Em Cidade Satélite, a polícia foi informada acerca de um corpo deixado em um terreno baldio. Segundo os denunciantes, a vítima, não identificada, foi alvejada por pessoas em uma moto.

Outros dois homicídios foram registrados na zona Norte, sendo um com características de execução e outro motivado por uma rixa.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Rodolfo Amaral numa noite memorável.È verdade, eu estava lá.

Rodolfo é fera!

-- Walter Medeiros* – waltermedeiros@supercabo.com.br
Uma noite de música memorável. Um passeio numa trilha musical de surpreendente primor. Assim podemos definir em pequena parte o espetáculo liderado pelo cantor potiguar Rodolfo Amaral em 17 de janeiro de 2013 no Teatro Riachuelo. Um palco que não é para qualquer um, que foi ocupado em toda sua magnitude por ele e seus convidados Ângela Rô Rô e Glorinha Oliveira. Todos acompanhados por um grupo de músicos de alta qualidade.
A apresentação de Rodolfo Amaral envolve incontáveis gestos da história da nossa música, aliados a melodias que atravessaram épocas e se juntam a outras que têm menos tempo de compostas, porém trazem a impressão de que teriam vindo de priscas eras. Assim ele faz uma síntese de canções de repercussão universal, algumas do romantismo e da fossa, outras da saga popular, e finda sendo aplaudido de pé pelo teatro lotado de gente de todas as idades, inclusive meu sogro, de 96 anos, a quem observei várias vezes aplaudindo com entusiasmo.
Nova roupagem para “Súplica cearense”, bela performance com o fado “Casa das Mariquinhas”, estonteante interpretação de “Brasileirinho”, emocionante sutileza em “Ne me quitte pas” e a retumbante releitura de “Fera Ferida” surpreenderam a muitos que viram pela primeira vez o novo astro da música surgido em terra potiguar. Tudo isso somado aos momentos inesquecíveis em que cantou com Glorinha Oliveira, mulher de história ímpar no cancioneiro brasileiro, e Ângela Rô Rô, que comprova o sucesso que começa a fazer e sem dúvida fará no cenário nacional.
Por um momento ele teve de relatar a triste situação pela qual passou em 2012, quando foi a uma consulta médica e saiu de lá com uma paralisia facial, vítima de um erro médico que chocou, preocupou e ameaçou a sua carreira de cantor. O problema está no âmbito da Justiça. Quanto ao artista, as dúvidas foram tiradas na sua apresentação, que teve uma produção primorosa, digna dos grandes astros da música, dos grandes palcos e das grandes platéias.
Conhecia Rodolfo Amaral das suas apresentações e entrevistas na TV. Desde a primeira música que o vi cantando percebi que se tratava de um fenômeno. Apesar do contratempo acima referido, sua carreira será muito além do que almejam alguns iniciantes. Natal terá de aceitar a sua ida para outros centros, onde já se vislumbram portas que se abrem para ouvi-lo e encontrar nele uma nova voz digna do seu espaço no meio artístico.
Enquanto saía para o estacionamento, ouvia as opiniões espontâneas do público: “muito bom”, “ele é eclético”, “dinivo”, “maravilhoso”, “emocionante”. O próprio Rodolfo Amaral disse que considerava aquela momento o seu “réveillon”. Reveillon que vem depois de um período tão difícil de tratamento e que deságua nada mais nada menos que no maior palco que poderia encontrar em solo potiguar e, para sua maior emoção, com o casarão cheio e aplaudindo de pé.
*Jornalista


--
Postado por AssessoRN - Jornalista Bosco Araújo no AssessoRN.com em 1/18/2013 05:25:00 PM

Resposta rápida

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Bandidões atacam com bicicletas. Somente em Natal...


Dupla em bicicleta dispara contra moradores de Brasília Teimosa e deixa três feridos.



Dois rapazes de bicicleta balearam três pessoas no bairro de Brasília Teimosa na noite de ontem (16). Segundo a Polícia, o crime aconteceu no cruzamento da rua Boa Vista com a Travessa Bom Jesus. A Polícia disse também que, como a rua estava movimentada pelos moradores do local, foram atingidos duas mulheres e um homem, que segundo moradores do bairro, não tinham ligação com o crime.

Das vítimas, apenas o homem foi identificado e é conhecido como "Betão", que reside na rua Edivan Reis, no mesmo bairro. Os três baleados foram levados ao Pronto-Socorro Clóvis Sarinho por ambulâncias da Samu, mas não se sabe o estado de saúde atual das vítimas.

Policiais militares realizaram diligências para tentar prender os acusados, que segundo informações de populares, seriam moradores das Rocas.
Fonte: Tribuna do Norte. Natal, 17.01.2013.

terça-feira, 15 de janeiro de 2013


Após alta, Ruthênio nega discussão antes de ser esfaqueado na Bernardo Vieira

Publicação: 15 de Janeiro de 2013 às 14:20
tamanho do texto A+ A-

Adriano AbreuMédico recomendou que Ruthênio ficasse em repouso e fizesse caminhadas
Médico recomendou que Ruthênio ficasse em repouso e fizesse caminhadas

Valdir Julião - Repórter

O vendedor de autopeças Ruthênio Antônio Wanderley Montenegro, 26 anos, já está descansando em casa de parentes e recuperando-se do pós-operatório oito dias depois de ser internado no Hospital Walfredo Gurgel, em virtude das 13 facadas que recebeu do mecânico de automóveis Wagner Gomes da Silva. O ataque aconteceu após acidente de trânsito ocorrido na noite de do dia 7 de janeiro, na avenida Bernardo Vieira.

Confira o áudio da entrevista:

Ruthênio  Montenegro falou com a TRIBUNA DO NORTE no começo da tarde desta terça-feira (15) na residência de um irmão, acompanhado do irmão caçula e do pai, Oberdan Montenegro. Segundo ele, só agora está tomando pé da situação " e lendo o que saiu nos jornais" e vendo o noticiário na televisão, a respeito do caso que vitimou sua mãe Lúcia Maria Wanderley Montenegro, morta com uma facada na veia aorta quando pedia socorro pelo filho.

Segundo Ruthênio, os médicos que lhe deram alta na manhã desta terça, às 7h30, informaram que as facadas desferidas pelo mecânico atingiram vários órgãos, inclusive o apêndice, que precisou ser retirado. Ele ainda se encontra com curativos nas duas coxas, com hematomas e curativos no abdômen, em decorrência dos ferimentos. Ele disse que a orientação médica é para que tenha muito repouso, comendo uma alimentação leve e que faça muita caminhada. 

O pai Oberdan Montenegro disse que espera por justiça no caso, mas falou que não defende a a implantação da pena de morte no Brasil, como muitos defendem: "Morreria muita gente inocente". 

Durante a entrevista, Ruthênio Montenegro negou que tivesse ocorrido uma discussão com o acusado da tentativa de homicídio contra ele e da morte da sua mãe. "É mentira", resumia ele, ao confirmar que tinha telefonado para o número 190 da Polícia para que fosse feita a perícia no local do  acidente, e só viu quando o acusado  voltou, depois de bater em duas motos, fazer uma contramão, ocasião em que só sentiu a primeira facada.

Ele afirmou que ainda ouviu sua mãe correndo em sua direção, "pedindo por socorro, acuda meu filho" e não viu mais nada, a não ser ela escorada na parede e com o braço no peito", porque já estava perdendo  muito sangue, sentindo frio e sede.

Atualizada às 14h29
Fonte: Tribuna do Norte.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

E os assaltos continuam.

A onda de assaltos às residências do conjunto Candelária, zona sul de Natal, considerada zona chique, continua a todo vapor. Quase todos os dias se ouvem relatos de assaltos a salões de beleza e casas. Agora chegou a vez da rua Raposo Câmara. A vítima foi a família de dona Ilza, viúva de Jesu, auditor fiscal do Estado, que mora na esquina com a rua 31 de Março. Na noite da última 2ª feira, 7, dona Ilza estava recebendo visitas em sua casa quando a campaínha tocou às 19h30, exatamente no instante em que a família visitante se preparava para sair. Um bando de assaltantes composto por 4 homens armados com revólveres ( três deles de "caras limpas" e um encapuzado)  saiu de um carro estacionado na frente da casa e invadiu a residência, mandando que todos ficassem calados e que só queriam as "coisas que nós precisa" (sic). E assim fizeram, em silêncio, falando baixinho. No inicio do arrastão, eles saíram a coletar os objetos das pessoas (cinco): celulares, relógios, computadores, 2 tevês LED arrancados da parede, na marra, e outros utensílios de valor e foram embora em silêncio, pedindo que todos ficassem calmos. Como? O problema maior não foi prejuízo, mas a vida de uma senhora visitante que teve um ataque de epilepsia quando começou o assalto. Mesmo assim, os ladrões fizeram o arrastão, sem levar nenhum carro. Na noite de ontem, dona Ilza contou o caso a várias pessoas, confirmando a versão que circulou na manhã do dia 8, que deixamos de informar por causa do falecimento de uma amiga da nossa família, Lúcia Vanderley Montenegro. Segundo uma moradora que conversou com dona Ilza, a suspeita é que a quadrilha seria a mesma que assaltou um salão de manicure na rua Almirante André Batista. A outra suspeita é que o homem encapuzado deve ser algum conhecido de familiares ou morador do bairro. Há informações de que os ladrões usaram uma camioneta baú para a "mudança".
Trecho da rua Raposo Câmara que está sendo visado por um bando ladrões. A casa assaltada não aparece, mas o caso do dia 7 foi igual a outros ocorridos em Candelária. Circulam informações de que um bando rouba em Candelária e foge para a avenida Getúlio Vargas, onde salta e desembarca as mercadorias roubadas re descem para a rua do Motor, na praia do Meio. Há informações de que moradores dos grandes edifícios estão acostumados a ver essas cenas. A violência campeia no país. È  o salve-se quem puder!

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013



Natal

Natal, 09 de Janeiro de 2013 | Atualizado às 13:23

Delegado refuta versão de acusado do assassinato na Bernardo Vieira

Tribuna do Norte - Publicação: 09 de Janeiro de 2013 às 12:00


O delegado Roberto Andrade da Delegacia de Homicídios (Dehom), que investigou e apreendeu Wagner da Silva Gomes de Lima, acusado do homicídio de Maria Lúcia Vanderlei Montenegro, 56, na noite dessa segunda (7), disse em coletiva dada hoje (9) à imprensa que refuta a versão apresentada por Wagner. De acordo com Roberto Andrade, o crime foi tentado e passional, já que Wagner estaria seguindo um Pálio desde a Zona Norte, tendo se confundido no percurso e desencadeado todo o acontecido daquela noite.
emanuel AmaralEm coletiva hoje (9), o delegado da Dehom (à esquerda) disse refutar a versão de Wagner Gomes de Lima
Em coletiva hoje (9), o delegado da Dehom (à esquerda) disse refutar a versão de Wagner Gomes de Lima

O acusado disse que seguia um Pálio e que sua ex-namorada estava no veículo. Durante o percurso, ele teria perdido o carro de vista e bateu acidentalmente no Pálio dirigido por Marcelo Soares, que estava acompanhado de sua esposa e uma criança de seis anos. Segundo Wagner, a colisão acidental seria o motivo para o retorno ao local da batida, visando resolver a situação.
emanuel AmaralEm coletiva hoje (9), o delegado da Dehom (à esquerda) disse refutar a versão de Wagner Gomes de Lima
Em coletiva hoje (9), o delegado da Dehom (à esquerda) disse refutar a versão de Wagner Gomes de Lima

emanuel AmaralWagner de Lima, preso pelo assassinato de Maria Lúcia, na avenida Bernardo Vieira, na noite dessa segunda (7)
Wagner de Lima, preso pelo assassinato de Maria Lúcia, na avenida Bernardo Vieira, na noite dessa segunda (7)


Natal

Natal, 09 de Janeiro de 2013 | Atualizado às 00:16

Assassino de Maria Lúcia é preso

Fonte: Tribuna do Norte
Publicação: 09 de Janeiro de 2013 às 00:00

Gabriela Freire 
e Alex Costa - repórteres

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte prendeu Wagner Gomes de Lima, 36, autor do crime que tirou a vida da dona de casa Maria Lúcia Vanderlei Montenegro, 56, morta a facada na noite de segunda-feira na avenida Bernardo Vieira. A prisão ocorreu na cidade de Nova Cruz, distante 93km de Natal, região Agreste do Estado, no início da noite de ontem. Wagner Gomes de Lima confessou o assassinato.
Aldair DantasFamiliares enterraram ontem à tarde o corpo de Maria Lúcia
Familiares enterraram ontem à tarde o corpo de Maria Lúcia

Segundo informações ele é ex-presidiário e já teria respondido pelo crime de estupro. As informações foram confirmadas pelo delegado-geral de Polícia Civil Fábio Rogério. Uma coletiva de imprensa para repassar os detalhes da prisão está prevista ainda para hoje. De acordo com o delegado geral, o autor do crime estava na casa de familiares e a Polícia Civil chegou até o local após uma denúncia anônima. "Com base nessa informação entramos em contato com os policiais em Nova Cruz e eles realizaram a prisão". O assassino confesso não teria apresentado resistência no momento da prisão. O Chevette, com marcas de batidas, também foi apreendido.

Policiais civis  Civil se deslocaram até a cidade de Nova Cruz, ainda na noite de ontem, para transferir o preso para o núcleo de custódia aqui em Natal. A expectativa era de interrogá-lo durante toda a noite para que toda a parte cartorária estivesse pronta já na manhã de hoje. A prisão preventiva deve ser decretada ainda hoje. Como a prisão correu menos de 24 horas após o crime, ele será autuado em flagrante. Para Fábio Rogério "o trabalho incansável da Polícia Civil prendeu esse indivíduo, autor de imensa covardia".

O delegado Roberto Andrade, da Delegacia de Homicídios (Dehom) foi designado para apurar o crime e preferiu não dar mais detalhes sobre a prisão. Pela manhã, destacou a aleatoriedade do crime. "Pela forma como foi narrado esse lamentável crime, essa situação poderia ter acontecido com qualquer pessoa envolvida no acidente", afirmou. 

"Hoje você vai morrer". Secas, como os golpes executados contra mãe e filho, foram as palavras proferidas pelo homem que matou a dona de casa Lúcia Maria Vanderlei Montenegro, 56 anos, e feriu seu filho mais novo, Ruthenio Antônio Vanderlei Montenegro, 26 anos, na noite de segunda-feira. De acordo com a estudante Sibela Peixe, 20 anos, namorada de Ruthenio, o assassino teria dito isso antes de começar a golpear o jovem. As informações foram repassadas à estudante pelo filho mais velho da dona de casa, Roberdan Júnior, que visitou o irmão no hospital na manhã de ontem.

A dona de casa Lúcia Montenegro foi assassinada na noite de quinta-feira quando defendia o filho mais novo do ataque de Wagner Gomes de Lima. A faca utilizada no crime atingiu o coração da dona de casa. Já Ruthenio Montenegro foi atingido com oito cutiladas na área do peito e pescoço. O estado de saúde dele é estável.

"Quem ama cuida, quem ama protege..." 

"Quem ama cuida, quem ama protege. Quem ama vive por aquelas pessoas que fazem de você uma lição de vida". Quando o jovem Ruthenio Antônio Vanderlei Montenegro, de 26 anos, escreveu essa frase em seu perfil do Facebook, o jovem não imaginava que essas palavras se tornariam tão reais, em tão pouco tempo. Às 20h20 da noite de segunda-feira, em meio a uma agressão a golpes de faca, motivada por um simples choque entre veículos no trânsito, dona Lúcia, sua mãe, de 56 anos, não pensou duas vezes: correu para evitar socorrer o filho acutilado, sem razão, por um homem então desconhecido. Terminou atingida no coração e não resistiu aos ferimentos. 
album de família/facebookEm rede social, Ruthenio declara amor à família e à mãe, Maria Lúcia (foto). Ela fez questão de acompanhar o filho à zona Norte
Em rede social, Ruthenio declara amor à família e à mãe, Maria Lúcia (foto). Ela fez questão de acompanhar o filho à zona Norte

O autor do esfaqueamento, Wagner Gomes de Lima, era o condutor de um Chevette branco/bege, causador do choque em cadeia entre três veículos na avenida Bernardo Vieira, na altura do bairro das Quintas. Segundo testemunhas, dois minutos após o acidente, quando se pensava que ele tinha se evadido do local, e provocou uma tragédia inesperada. Enquanto Ruthenio ligava para a polícia, pedindo a perícia do acidente, o condutor do Chevette parou o carro no sentido contrário da avenida, atravessou a rua, e esfaqueou o jovem com oito facadas em várias partes do corpo.

Lúcia Montenegro, que estava no carro, avançou no agressor em defesa do filho, e foi atingida com um golpe no coração. Os momentos que se seguiram foram de mais dor. O motorista  fugiu deixando a família sem pistas sobre o seu paradeiro. Ruthenio foi levado para o hospital em estado grave e entrou com urgência na sala de cirurgia. Dona Lúcia foi atendida pelas equipes do Serviço Ambulatório Móvel de Urgência, foi encaminhada junto com o filho para o pronto-socorro Clóvis Sarinho, mas não resistiu e morreu na sala de cirurgia.

A equipe de reportagem da TRIBUNA DO NORTE voltou ao local do crime, no final da manhã de ontem. No sinal da avenida Bernardo Vieira, sentido Norte-Sul, à frente do depósito do Vale do Pará, marcas de sangue realçavam o cenário trágico. Segundo informações do aposentado Ivan Ferreira, morador de uma casa em frente ao cenário do crime, o seu sono foi interrompido por gritos de socorro das vítimas. "Quando eu saí de casa, parecia uma cena de guerra. Era a senhora caída para um lado, o rapaz do outro todo ensangüentado. Todo tempo ele chamava pela mãe. Queria saber se ela estava bem", contou Ivan.

Segundo informações da assessoria de imprensa do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, o estado de saúde de Ruthenio já era considerado estável e o jovem foi transferido para uma enfermaria, ainda no início da tarde de ontem. No Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep), o filho mais velho de dona Lúcia, acompanhado da esposa, cuidavam da liberação do corpo para sepultamento.

Roberdan Montenegro Júnior chegou ao Itep por volta das 10h30 com o semblante abalado e, em choque, falou poucas palavras à equipe de reportagem. Luciene Lima, nora de dona Lúcia, disse que toda a família está destroçada. "Estamos com o coração tão parecido quanto o da dona Lúcia: partido ao meio", falou chorando. Segundo ela, até a tarde de ontem o jovem Ruthenio, internado no hospital, desconhecia a notícia do falecimento da mãe. 

"Ele já perguntou por ela duas vezes: uma quando acordou após a cirurgia, de madrugada, e outra pela manhã", contou Luciene. Ainda de acordo com a nora, a família Montenegro é extremamente pacífica e não existe a chance de Ruthenio ter entrado em atrito com o condutor do Chevette.

Testemunhas que estavam no  Pálio, atingido diretamente pelo Chevette, relataram aos policiais do 9º Batalhão de Polícia Militar que não houve confronto ou nenhum tipo de discussão entre os envolvidos no choque. De acordo com informações de Luciene Lima, nora de Lúcia Montenegro, Ruthenio havia passado o final da tarde e o início da noite com a sua namorada, em sua residência, localizada no bairro do Alecrim. 

Ruthenio voltava da zona Norte onde tinha ido deixar a namorada, Sibela Peixe. Dona Lúcia insistiu em ir com o filho. A dona de casa deixa três filhos e o marido. Sibela Peixe, comentou que a sogra temia que o filho dirigisse sozinho pela avenida, que considerava perigosa.

Motivo da violência foi banal, diz família

Uma salva de palmas quebrou o duro silêncio quando o caixão onde estava o corpo da dona de casa Lúcia Montenegro desceu ao túmulo da família, no Cemitério de nova Descoberta. "Ela se foi como uma heroína vítima da violência", disse um conhecido que preferiu não se identificar.

Mais cedo, familiares, amigos e curiosos participaram do velório para se despedir da dona de casa Lúcia Montenegro. "É um absurdo isso que aconteceu. Dona Lúcia sempre foi uma mulher dedicada integralmente à família. Estamos muitos chocados", lamentou a nora Sibele Peixe. A violência e banalidade que caracterizam o assassinato despertou a atenção de curiosos. "Eu vim aqui como uma mãe de família que compreende o ato dela e está indignada com o tamanho da violência desse crime", disse a dona de casa Lourdes Andrade. Ela não conhecia a família, mas soube do crime através da imprensa.

O clima de emoção que já tomava conta da capela de número 2 do Centro de Velório Vila Flor, no bairro de Nova Descoberta se intensificou quando, ainda no início da tarde, o arcebispo de Natal Dom Jaime Vieira esteve no local e deixou algumas palavras de conforto para a família. Ele acabara de celebrar missa de corpo presente na capela vizinha.

Roberdan Montenegro, tratava a esposa como "filha" e estava casado há 32 anos. Durante todo o velório permaneceu inconsolável ao lado do caixão, acompanhado do filho Ricksson Montenegro. Abalados, preferiram não falar com a imprensa."Eles estão sem condições. O marido dela está sem comer desde ontem (segunda-feira) e não sabemos como está conseguindo se locomover", disse a nora Luciene Lima.


quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Mais um assalto contra manicures em final de expediente.

Mais um assalto. Desta vez, foi em Karla Cabelereira, na avenida Frei Henrique de Coimbra, há poucos minutos. O salão é de luxo e foi recentemente instalado no trecho próximo ao conjunto residencial Bairro Latino. Três viaturas da Polícia Militar foram chamadas e estavam no local, desde às 19 horas, mas não há notícias do montante levado pelos assaltantes. O salão de beleza fica próxima à praça dos Eucaliptos.
Os assaltos à salões de beleza estão ocorrendo, rotineiramente, no final da tarde e/ou inicio da noite. O mais audacioso assalto em série ocorreu no dia 23 de dezembro, na rua Santa efigência, quando assaltantes-motoqueiros assaltaram quatro imóveis comerciais, por volta das 18h30m, levando celulares, dinheiros e objetos de valores das manicures e clientes.

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Assaltos na rua Santa Efigênia são rotineiros

E os assaltos continuam. Viraram coisas banais, rotineiras. As pessoas são assaltadas e não comunicam à delegacia. E Candelária tem delegacia de bairro? Não, há uma delegacia de  plantão da zona sul, a partir de 18 horas. Por isso, os moradores da rua Santa Efigênia, lado norte do conjunto, desde o dia 22 de dezembro passado que não prestam queixa após o arrastão ocorrido no inicio daquele noite. As vítimas foram pessoas trabalhadoras, manicures, trabalhadores artesanais, consertadores de cadeiras de palhinhas, etc. Foram quatro pontos comerciais assaltados por bandidos em motocicletas. Levaram dinheiro e celulares dos trabalhadores e trabalhadoras. Sueli, a manicure, filha de dona Teresinha, perdeu 1 mil reais, segundo informações do "Galego" pintor, na manhã de ontem, no Bar de Cid, a central de notícias. O dono do bar, Cid, confirmou mas não entrou em detalhes.
Finalmente, foram quatro assaltos em cadeia, um arrastão. As vítimas: pessoas humildes, trabalhadores. São assaltos relâmpagos.
Eu perguntei porque ninguém denunciou à polícia e não foram fazer o BO? Outro Galego, revoltado, 68 anos, disse que não veste uma camisa verde e amarelo porque não ama o seu país, que aqui só tem ladrões e corruptos e que não tem solução.Errado, Galego.


Na manhã de hoje, 2, os quatro pontos comerciais estavam fechados, mas com possibilidades de abrirem amanhã, 3. Um vigia, Marcelo, de rua disse que os assaltos são rotineiros há muito tempo em Candelária e que todos os salões de manicures do último quarteirão das ruas Raposo Câmara e Marquês de Pombal já foram assaltados.

CARTAS DE COTOVELO (2013.1)
Carlos Roberto de Miranda Gomes, escritor-veranista.
Mais um veraneio começa na região nordestina, tendo o condão de atropelar o calendário dos negócios e das coisas mais sérias do ano que se inicia, perdurando até o carnaval.
Veranear não deve ter a compreensão simplória dos dicionários, como simples lugar distinto da residência, geralmente nas praias, serras, lagos ou montanhas, conforme a localidade onde cada um vive.
Sua real característica permite revigorar a força física, fazer um hiato na labuta cotidiana e um reencontro com a paz interior.
Dou-me a esse deleite desde os idos de 1947, que começou na Barra do Cunhaú, depois na Redinha, por muitos anos e há mais de quatro décadas na praia de Cotovelo, onde encontrei o meu “Nirvana” espiritual.
A visão do veraneio varia com a idade. Quando criança, nada mais do que o lazer dos banhos à toda hora, pescarias e caminhadas.
Na adolescência, prepondera a convivência fraternal com os amigos e amigas, alguns folguedos, no bom sentido e os primeiros eflúvios do amor.
Faz-me, lembrar um filme que se passou num veraneio em uma praia italiana, onde um garoto, mais ou menos da minha idade (16 anos), interpretado pelo ator Gino Leurini realizou a sua primeira aventura amorosa, com uma “Donna” mais velha que ele, que o transformaria psicologicamente para a vida, tal a intensidade de sentimento naquela descoberta. Isso também me impregnou até os dias presentes, embora neste instante da vida, somente pelo desejo de conseguir de algum colecionador uma cópia daquela película “Amor de Outono”. Ainda tenho a esperança de conseguir!
Ao chegar a maturidade aflora a fraternidade, numa convivência harmoniosa entre a família e amigos. Esta é a fase mais duradoura, permitindo impulsos de criatividade intelectual e habilidades manuais nos campos da pintura, marcenaria, hidráulica e eletricidade, nem sempre bem sucedidas!
Mas quando se atinge a terceira idade, se eleva acentuadamente o pendor romântico e literário, pelas lembranças dos momentos vividos e felizes, dando a tudo uma visão especial, seja de um beija flor, um búzio, um luar ou qualquer outra visão do belo e do bom.
No veraneio leio vorazmente e escrevo com o mesmo apetite, entrecortados com uma geladinha ou scotch com água de coco.
Foi num veraneio na Redinha, que aprendi uma canção da autoria do meu pranteado irmão Fernando, composta quando ainda adolescente, que tem a seguinte letra:
REDINHA, praia linda e sem igual.
Poema lírico e imortal, onde nasceu nosso amor.
REDINHA, em teus recantos lindos,
Lembra-me o tempo de menino
Colhendo búzios em multi-cor.
REDINHA, de casas de palha e bangalô,
Onde não há escravo nem senhor,
Todos ali são iguais.
REDINHA volto de novo ao teu seio,
Para viver sem receio
Aqueles tempos ideais.

Inicio da Campanha da Fraternidade-2013 será em Natal.

Clero de Natal prepara lançamento da CF 2013
 
Foto cartaz/divulgação
A Arquidiocese de Natal vai sediar o lançamento nacional da Campanha da Fraternidade 2013, cujo tema será "Fraternidade e Juventude". Em encontro do clero de Natal realizado em dezembro passado foi abordado esta temática com o objetivo de preparar os padres, diáconos e leigos, principalmente integrantes das equipes paroquiais de Campanha, para o lançamento da CF 2013 nos dias 14 e 15 de fevereiro.
 
O lançamento será feito na Arquidiocese de Natal para comemorar os 50 anos da Campanha da Fraternidade. A Campanha, que atualmente é desenvolvida em todas as Dioceses e Arquidioceses do Brasil, surgiu no Rio Grande do Norte no ano de 1962, por iniciativa do então Administrador Apostólico, Dom Eugênio de Araújo Sales, na comunidade de Timbó, município de Nísia Floresta, cerca de 50 quilômetros de Natal. [Fonte: portal da Arquidiocese de Natal]
Fonte: Assessorn.com.br