quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Seriam os mesmos que assaltam em Candelária?


Bandido é preso após assalto a farmácia no Planalto

Publicação: 27 de Setembro de 2012 às 08:55
tamanho do texto A+ A-

Um bandido ainda não identificado foi preso ontem (26), após assaltar uma farmácia na rua Monterrey, no bairro Planalto, zona Oeste de Natal. O criminoso estava em uma motocicleta roubada e foi reconhecido pelas vítimas. O comparsa do bandido conseguiu fugir.

O crime ocorreu por volta das 19h. Dois homens em uma motocicleta entraram na Farmácia Aliança e, armados, anunciaram o assalto. Os bandidos renderam o funcionário que estava no caixa e levaram aproximadamente R$ 400. Depois disso, deixaram o local na motocicleta.

A Polícia Militar foi acionada e, durante as diligências, encontraram um dos assaltantes ainda na motocicleta, trafegando pela região. Houve a abordagem por parte dos policiais e o suspeito, que estava desarmado no momento da ação, não reagiu à prisão. Os policiais consultaram a situação da motocicleta e confirmaram que havia uma queixa de roubo. O suspeito foi levado para prestar esclarecimentos na Delegacia de Plantão da Zona Sul, onde foi lavrado o flagrante.

A Polícia Militar realizou diligências em busca do outro assaltante, mas o criminoso não foi encontrado.
Fonte: Tribuna do Norte.
Nota: A indagação que se faz é se os dois ladrões são os mesmos que assaltavam em Candelária, principalmente no lado norte (Rua do Sol, etc). Aguardemos os resultados das investigações policiais.


Cabo Bruno é assassinado a tiros um mês após sair da prisão

Ex-policial foi morto quando chegava em casa, em Pindamonhangaba, interior de SP


De acordo com informações da Polícia Militar, Florisvaldo estava acompanhado de parentes e voltava de um culto evangélico, por volta das 23h45m, quando dois homens chegaram - um de cada lado da rua. Foram disparados cerca de 20 tiros contra o ex-policial, que morreu na hora.
- Ele estava acompanhado dos familiares quando foi surpreendido. Desceu do veículo e somente ele foi alvo do crime - afirmou à TV Vanguarda o tenente da PM Mario Tonini.
Cabo Bruno havia sido condenado a 117 anos e quatro meses de prisão. Cumpriu um quarto da pena , beneficiado por um decreto do governo federal, que concede perdão a presos que cumpriram 23 anos consecutivos e tenham bom comportamento. No dia 23 de agosto ele deixou o presídio de Tremembé, no interior paulista, para seguir a vida de pastor evangélico ao lado da mulher, a pastora e cantora gospel Dayse França.
Fonte: O Globo.


 

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Sobre a recessão na Inglaterra - Carta da Europa 4.


CARTA DA EUROPA  4
Hoje vou relatar sobre aspectos da vida inglesa e, voltando à deixa do meu último artigo, falarei das “lojas de caridade” (charity shops), que nos últimos anos se tornaram uma verdadeira instituição inglesa por causa da recessão econômica. Para falar sobre ela, tenho que voltar uns 30 anos quando as instituições de caridade enfrentavam uma grande problema na África: as doações enviadas não atingiam o alvo porque eram interceptadas por burocratas e políticos corruptos que as vendiam e embolsavam o dinheiro. Alguém teve então a idéia de manter as doações na Inglaterra, vendê-las e usar a renda obtida em esquemas próprios na África, ajudando comunidades em saúde, alimentação,etc. Hoje todo tipo de organização não-governamental ou de caridade (de proteção aos animais, do coração, da terceira idade, etc) tem suas lojas que atraem um número cada vez maior de fregueses. Muitas destas organizações utilizam os proventos das vendas em pesquisas e estudos científicos. Nas lojas são vendidos vários tipos de mercadorias: miudezas, artigos elétricos, móveis, vestuário, livros, tudo em muito bom estado e até novos. Os preços são atraentes: mais ou menos ¼ dos preços das lojas convencionais.Quase todos os empregados são voluntários.
Mesmo vendo filmes e documentários sobre a Inglaterra, nada pode preparar um brasileiro sobre a vida aqui. É realmente bem diferente. Agora, na recessão, tem aparecido um seriado na televisão sobre  como economizar muito. Dicas diversas são dadas desde como fazer um brinquedo a partir de uma meia velha até como providenciar um seguro. Em comparação com os recursos dos países da América do Sul, a Inglaterra é pobre, pobre, mas o povo é capaz de se virar bem em diversas circunstâncias sem provocar tumulto. O que move eles é a cultura, a história, o orgulho congênito, o  que, ao meu ver, é o traço mais característico. Cada iniciativa é marcada pelo orgulho. Os anúncios, o marketing, o falar, o comportamento é temperado do orgulho e até empolação, o que torna certas atitudes um tanto ridículas (aos meus olhos). Por exemplo, num documentário sobre uma certa região ou vilarejo, eles põem o máximo de atenção, tornando empolgante um assunto simples.
Outro traço marcante do povo inglês é a generosidade. A princípio pode ser uma característica incompatível com o orgulho, mas os ingleses conseguem fazer esta pirueta. Quando há uma tragédia em qualquer ponto do planeta, eles doam mantimentos e altas somas de dinheiro. São inúmeras as associações caritativas e elas estão sempre presentes na mídia, angariando dinheiro para as crianças famintas e abondonadas; para a conservação das florestas; para a pesquisa sobre doenças cardíacas, diabetes, Alzheimer  e dezenas de outras doenças pouco conhecidas.
Os ingleses gostam de ser vistos como generosos. Eu já me acostumei com esse lado, mas o orgulho é o traço mais difícil de aceitar porque em muitas situações parece arrogância ou discriminação. No cômputo geral não se pode dizer que é ruim viver na Inglaterra, pois, como na maioria dos países europeus, as coisas funcionam.

Setembro,2012 – Portsmouth
Maria das Graças English (Gracinha)
----
Maria das Graças é natalense. Originalmente, seu nome é Maria das Graças Cortez Gomes de Melo.

Violência e criminalidade aumentam

A violência urbana cresce diariamente, não há a menor dúvida. E o bairro de Candelária não escapa da situação descontrolável. O Estado perdeu o controle da situação. Matam e roubam a três por quatro, como diz o ditado popular. A criminalidade toma contornos de barbárie, de crueldades ímpares, de bestialidades só vistas em filmes de terror, a baderna pseudo anarquista invade a principal avenida de acesso de Natal, toca fogo em ônibus, em nome de um movimento reivindicatório que deveria conquistar a simpatia da população, mas o "o feitiço fica contra o feiticeiro", isto é, a opinião pública e a classe trabalhadora não aderem aos gatos pingados da militância porralouca. Os estudantes que congestionam as artérias principais da zona sul de Natal, em ações previamente anunciadas ( na terça-feira passada, às 16 horas, já estavam concentrados ao lado do Via Direta, em Mirassol, ao lado dos sorveiteiros e lanchonetes) são os mesmos que prejudicam o deslocamento automotivo de centenas (ou milhares?) de estudantes em direção às escolas e faculdades noturnas, localizadas em Capim Macio e Neópolis. Por isso, há semanas que essas manifestações programadas causam problemas no cada vez mais caótico trânsito rodoviário da capital.
Vivemos no estado de Direito, mas são descabidos, prejudiciais e antipáticos os movimentos "populares" que não respeitam os direitos humanos, o direito de ir e vir, etc.
E os assaltos? E as chacinas?
Agora, muitas pessoas gostariam de ver uma passeata de protestos contra a chacina de 5 pessoas, na noite de segunda-feira, no proletáriuo bairro de Cidade Nova, na zona Oeste de Natal. Até prova em contrário, nenhuma agremiação estudantil conclamou os estudantes para saírem às ruas, nem lá nem na zona sul. Em Candelária, também existe omissão dos moradores com os assaltos diários. Tem gente que vê o assalto e corre para as suas casas, têm até medo de levantar a cabeça. Na noite de ontem, 19, às 17h55m, eu vi o final de um assalto na rua Santa Efigênia, perto do Bar de Cid, praticado por dois rapazes numa motocicleta. Vi o rosto do assaltante que colocava o capacete na cabeça e subir na garupa, e o comparsa dar partida na moto e em alta velocidade, em direção à rua do Sol e rumarem para Cidade da Esperança.Era uma motocicleta nova, com placa. Em suma, vi um garoto e uma senhora que gritavam por socorro, mas não apareceu ninguém e o bandido levou a sua bolsa, após a fracassada resistência da vítima. Não esqueci um detalhe: vários carros passavam no momento do assalto, mas ninguém parou. Ocasionalmente passava na rua Sta. Efigência, parei o carro, liguei os faróis em alta, vi o final do assalto ( a tomada da bolsa) e a fuga. Só. Não houve tiro nem captura dos ladrões. Boletim de ocorrência? Não sei, creio que não. O povo está se acostumando a deixar prá lá porque não acreditam mais nas autoridades de segurança? Parece.
Poucos minutos antes do assalto da rua Santa Efigênia, houve outro na frente de uma casa na rua Ana Angelina de Macedo, a do Posto Base da PM de Candelária. A vítima teria sido um médico que estacionou o carro na frente da casa de dona Neuca para fazer um lanche. Os dois ocupantes de uma moto preta levaram a bolsa do médico e pertences que estavam com duas crianças impúberes que ouviram o ladrão gritar "me dá essa bolsa porra!". E sumiram. Caso para se apurar os detalhes e possíveis exageros. E a polícia, onde estava? Eu não sei. 
Diante do quadro dantesco de insegurança pública em Natal e adjacências, só nos resta aguardar mudanças na política de combate ao crime organizado e aos assaltos relâmpagos na cidade. Tem razão o atua secretário de segurança pública, Aldair Rocha, quando defende a necessidade de se criar uma academia de polícia unificada, congregando a polícia civil e a polícia militar do RN, e com um departamento de inteligência verdadeiro mesmo, científico e de alto nível. Só escuta telefônica não é suficiente.
E o Brasil tem modelos a serem seguidos, vindos de Brasília, de São Paulo e do Rio de Janeiro, afora os do estrangeiro. Tem gente que advoga os modelos do Mossad, da Swat e outros renomados e experimentados serviços de informações variados. Mas isso é outra história.
Mas a baderna de terça-feira, na Br 101 e os incêndios de ônibus de empresas locais, estavam previstas desde a tarde daquele dia. Acreditamos que as lideranças do movimento reivindicatório dos estudantes, cujo fulcro é o retorno da estação de passagem, em Mirassol, vão repensar a continuação dos protestos até a capitulação dos empresários de transportes coletivos.
--------------
Em tempo: a SETURN anuncia que hoje a estação de integração (passe livre) retornará. Vamos ver se os estudantes concordarão.



TVU com canal digital.

Com a consignação dada pelo Ministério das Comunicações de um canal digital de televisão para a Universidade Federal do Rio Grande do Norte, a TVU vai migrar para o novo sistema da era digital. Antes, a emissora já construíra a nova torre de transmissão e adquirido o equipamento transmissor. Agora, para concluir o processo do novo sinal com a transmissão digital, terá ainda de construir um local de abrigo para o transmissor, além de renovar os equipamentos de produção e capacitar o pessoal técnico.


--
Postado por AssessoRN - Jornalista Bosco Araújo no AssessoRN.com em 9/19/2012 07:12:00 PM